Seguidores

30 de nov de 2013

O que fazer quando não há nada a fazer


O que fazer quando não há nada a fazer

-Tema: FÉ
Atos 12.1-12
-Introdução: Existem situações em que pensamos que não podemos fazer mais nada. Você já se sentiu assim? Imobilizado? É uma sensação terrível de impotência diante dos problemas que assistimos e não conseguimos resolver.
Pedro estava com os pés e as mãos amarras. Preso e vigiado por “quatro escoltas de quatro soldados cada uma”(v.4), ou seja, 16 soldados. Não havia nada que pudesse fazer.
Tudo já estava preparado contra Pedro. Herodes o prendeu pensando em apresentá-lo ao povo para condená-lo e fazer como aconteceu com Jesus, Estevão e por último com Tiago (v.1,2). Talvez Pedro estivesse se preparando para o fim. A multidão aguardava ansiosa ajuntando pedras para atacar o apóstolo. Mas embora estes fossem os planos de Herodes e do povo, também era o medo de Pedro, não era o plano de Deus.
Assim como aconteceu com Pedro, quando achamos que está tudo perdido, Deus entra com sua ação poderosa nos livrando de todo mal. Quando não podemos fazer nada, Deus pode fazer tudo!
Você já tentou de tudo?
Vamos refletir em cada versículo lido (sermão textual) e aprender o que devemos fazer:
1- Deus está te GUARDANDOv.5a “Pedro, pois estavaguardado no cárcere”
A primeira coisa que precisamos saber nestas horas é confiar que Deus está nos guardando.
A Igreja e o próprio Pedro achavam que ele estava sendo preso pela maldade de Herodes.  Este achava que estava fazendo a sua vontade. Os soldados pensavam que ninguém os venceria. A multidão esperava pelo amanhecer para condenar Pedro.
Mas foi justamente por isso que Deus achou melhor guardar Pedro em segurança. Para isso Deus usou a guarda herodiana, mas preparada. Se Pedro não estivesse bem protegido naquele momento poderia ser morto pela turba enfurecida.
Preste bem atenção, o texto não diz que Pedro estava preso e sim que estava “guardado no cárcere”. Isso prova que Deus usa quem Ele quer para nos abençoar. Quando pensamos que tudo está dando errado, Deus pode concertar, porque “sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8.28).
 Parece que tudo está dando errado na sua vida?
Confie que Deus está guardando você!
                              
2- ORE incessantementev.5“mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele”
O diferencial deste texto é este “mas” que abre espaço para algo que faz diferença em nossas vidas: a oração. Não uma oração qualquer, mas uma oração incessante. Aquela igreja orava ao Senhor com fervor pela vida de Pedro. Contudo não oravam querendo que Deus fizesse a vontade deles, estavam preparados para aceitar a vontade de Deus. Isso é confiança plena em Deus.
Muitas pessoas passam por situações difíceis e não estão dispostas a orar. Querem que o pastor ore, que as irmãs de oração intercedam, ou até vão ao culto ou campanha esperando que Deus aja imediatamente. Não é assim. Deus não tem que fazer as coisas do seu jeito e na hora que você quer.
Precisamos aprender a “orar sem cessar” (I Tessalonicenses 5.17). Enquanto oramos somos preparados por Deus para receber Sua bênção.
Você está disposto a pagar o preço da oração?
Ore incessantemente e Deus fará um milagre em sua vida!

3- DESCANSE no Senhorv.6 “Quando Herodes estava para apresentá-lo, naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias, e sentinelas à porta guardavam o cárcere”
Imagine só. Possivelmente esta seria a última noite da vida de Pedro e ele estava desconfortavelmente acorrentado nas mãos e nos pés entre dois soldados. Não havia maneira nem de virar par ao lado. Mesmo assim Pedro dormia.
Mais tarde Pedro escreveria para a Igreja não se preocupar com as perseguições, mas descansar em Deus “lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (I Pedro 5.7).
Se confiarmos em Deus, podemos descansar nele. Não adianta se apavorar e ficar preocupado. Pode dormir tranqüilo, pois “inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem”(Salmos 127.2).
Você tem descansado em Deus ou se desespera facilmente?
Aprenda a confiar no Senhor em todo o tempo!

4- Deus enviará Seu ANJOv.7a “Eis, porém, que sobreveio um anjo do Senhor”
Aqui começamos a ver a ação de Deus ao enviar seu anjo. Primeiro você deve confiar que sua vida está guardada pelo Senhor, depois deve orar incessantemente e então descansar no Senhor sabendo que sua vida está em Suas mãos poderosas.
A Bíblia diz que os anjos “são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação”(Hebreus 1.14). Também que “O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra” (Salmos 34.7). Então se você é um servo de Deus, crê que vai herdar a salvação e teme ao Senhor, tenha certeza que os anjos de Deus estão junto contigo para te proteger.
Existem coisas que só conseguimos com batalha espiritual. Por isso Deus envia seus anjos para lutar ao nosso favor nas regiões celestiais (Efésios 6.12).
Você acredita que Deus envia seus anjos para nos livrar?
Quando você pensa que está só, Deus envia anjos para te ajudar!

5- Deus te dará uma LUZv.7b “e uma luz iluminou a prisão”
Estava tudo escuro na prisão quando uma luz muito forte brilhou naquele lugar incomodando os olhos de Pedro.
Há momentos em que não vemos uma alternativa sequer para agir. Não há uma luz nem no fim do túnel. Mas Jesus disse que “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (João 8.12). Sempre que precisamos Jesus envia uma luz para nos clarear as esperanças.
Não podemos esquecer que a Palavra de Deus é uma luz que precisa ser mantida acesa em sua vida (Salmos 119.105).
Você está precisando de uma luz?
Peça a Jesus que ilumine o seu caminho, mas leia a Bíblia!

6- Sinta o TOQUE de Deusv.7tocando ele o lado de Pedro”
Talvez Pedro pensasse que era um sonho (v.9), por isso o anjo tocou-o para acordá-lo e dar ânimo.
O toque de Deus restaura nossas vidas. Em ocasiões em que já estamos anestesiados de tanto levar pancada, Deus com seu toque suave nos fortalece.
Existem problemas que queremos resolver com as próprias mãos e não conseguimos, mas Deus com um toque apenas coloca tudo no seu devido lugar.
Deus toca de diversas maneiras. No caso de Pedro usou um anjo, mas pode usar uma pessoa ou qualquer outra forma para te tocar desde que você esteja sensível a isso.
Você já se sentiu tocado pelo Senhor?
Peça ao Senhor para tocar em sua vida!

7- DESPERTA e LEVANTAv.7“o despertou, dizendo:Levanta-te depressa!”
Pedro já tinha acordado com a luz e o toque do anjo, mas permanecia inerte sem fazer nada. Por um momento ficou deslumbrado com a maravilhosa visita angelical e se satisfez em ficar só contemplando. O anjo o despertou e ordenou que se levantasse, pois não era hora de ficar parado, chegou o momento de agir.
Muitos crentes querem ficar só na contemplação olhando o que Deus vai fazer, mas chega uma hora em que é preciso agir. Vamos fazer um trocadilho com a palavra oração: ORA+AÇÃO = orar e depois agir com fé. A Igreja costuma ser como um campo de futebol, onde a multidão fica gritando e na hora de trabalhar, só alguns aparecem.
Várias vezes Jesus após curar uma pessoa dizia “toma teu leito e anda” (Mateus 9.6; Marcos 2.11; Lucas 5.24; João 5.8) para mostrar que quando somos abençoados precisamos começar a trabalhar e fazer alguma coisa para agradar ao Senhor.
Não adianta querer que Deus faça tudo. Você precisa fazer sua parte para vencer e se não conseguir, pode contar com a ação sobrenatural de Deus agindo por você.
Você já se levantou para servir a Deus ou está parado só olhando?
Levante-se, chega de ficar só olhando, Deus quer te abençoar!

8- Seja LIBERTOv.7“Então, as cadeias caíram-lhe das mãos”
Até então Pedro ainda estava algemado, porém ao se levantar como uma atitude de fé, as algemas caíram de suas mãos e ele foi liberto.
Há pessoas que não são libertas por que não estão dispostas a fazer o mínimo por sua própria libertação. É preciso crer para receber a libertação. Crer é um verbo que designa ação, então significa uma ação movida pela fé.
Além de aceitar Jesus (novo nascimento) e iniciar o processo da conversão (mudança de vida), também é necessário se libertar de tudo o que impede sua vida espiritual para seguir santificando sua vida. Existem resmas de coisas mundanas que precisamos romper com elas radicalmente.
A libertação vem pelo conhecimento da verdade (João 8.32) que é a Palavra de Deus (João 17.17) revelada na pessoa de Jesus Cristo (João 14.6).
Você já foi liberto?
Jesus quer libertar sua vida de tudo o que te impede de vencer!

9- PREPARE-SE para o melhorv.8“Disse-lhe o anjo:Cinge-te e calça as sandálias. E ele assim o fez. Disse-lhe mais: Põe acapa
Antes de sair da prisão o anjo mandou Pedro se aprontar. Não sairia de qualquer maneira sem estar preparado.
Assim como Pedro, após ser liberto, o crente tem que se preparar para servir a Deus, por que o inimigo volta com mais sete espíritos para piorar a situação (Lucas 11.24-26). Deus já proveu uma armadura espiritual para “revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Efésios 6.11).
Você está preparando sua vida?
Prepare-se espiritualmente para vencer!

10- SIGA em frente pela fév.8e 9  “segue-me” “Então, saindo, o seguia, não sabendo que era real o que se fazia por meio do anjo; parecia-lhe, antes, uma visão”
Se Pedro saísse da prisão por conta própria achando-se independente do anjo, algo teria dado errado, por isso o anjo mandou que fosse atrás dele. Isso mostra a necessidade de seguir a vontade de Deus e deixá-lo conduzir a vida. Muitos problemas são apenas conseqüências de coisas erradas feitas antes.
Existem que parecem querer que Deus os siga concertando seus erros. Toma decisões e depois quer que Deus abençoe. Não é assim que deve ser. A Bíblia ensina primeiro “agradar o Senhor”“entregar teu caminho ao Senhor” e depois “Ele satisfará o desejo do seu coração”,“o mais Ele fará” (Salmos 37.4,5).
Você tem seguido a direção do Senhor para sua vida?
Deixe Deus te conduzir e tudo dará certo!

11- Deus ABRE AS PORTAS pra vocêv.10 “Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade, o qual se lhes abriu automaticamente; e, saindo, enveredaram por uma rua, e logo adiante o anjo se apartou dele”
O anjo ia à frente de Pedro e passaram por todas as portas da prisão até chegar a ultima que era reforçada. O portão de ferro se abriu automaticamente como se fosse eletrônico. Logo a seguir o anjo levou Pedro a uma rua onde ele já soubesse o restante do caminho e então o deixou.
Quando Deus está à frente de sua vida, as portas se abrem naturalmente. Se for preciso de uma intervenção milagrosa Deus abre portas até onde não existem. Mas como Pedro que teve que seguir o caminho sozinho, também é preciso bater nas portas para que se abram (Mateus 7.7).
A porta que o homem não pode abrir Deus abre. Mas as portas que são para você bater, Deus não vai abrir, compete a você bater e Ele prometeu que Ela se abrirá “Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á” (Mateus 7.8).
Você tem batido nas portas para se abrirem?
Deus quer abrir portas para você!

12- Vá para o LUGAR CERTOv.12 “Considerando ele a sua situação, resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam
Pedro agiu de forma natural. Sentiu-se atraído até o lugar onde a Igreja estava reunida orando por ele.
Muitas pessoas fazem campanhas e quando recebem a bênção não voltam mais à Igreja nem pra agradecer. Por isso recebem apenas a bênção e não o Senhor Jesus.
O lugar certo de quem foi abençoado por Deus é a Igreja. Assim que Deus responder sua oração, dê seu testemunho, faça um culto de gratidão e tenham mais compromisso com Deus servindo ao Senhor na sua Casa e “não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hebreus 10.25). Mesmo com todos os defeitos das pessoas a Igreja ainda é o melhor lugar pra se conviver e buscar a presença de Deus.
Você tem compromisso com a Igreja?
O lugar certo para você e a Casa do Senhor!

Deus gosta de fazer o impossível!
-CONCLUSÃOv.11 “Então, Pedro, caindo em si, disse: Agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judaico”
Pedro saiu dali pensando que estava sonhando, mas teve certeza que Deus o havia livrado completamente dos interesses de Herodes e da fúria do povo. Quando chegou à casa onde estavam os irmãos, eles também ficaram assustados (Atos 12.13-16).
Às vezes quando somos abençoados “ficamos como quem sonha”(Salmos 126.1) e não entendemos o que está acontecendo de tão maravilhados.
Em situações que não tem nada que pode ser feito lembre-se que Deus está guardando sua vida, ore incessantemente e descanse em Deus. O Senhor enviará seu anjo par lutar por você, te dará uma luz e te tocará com seu poder. Mas não fique só olhando, levante-se. Deus vai te libertar de tudo o que te prende, vai te preparar e te guiar abrindo as portas pra você. Então permaneça na casa de Deus e cante louvores em gratidão ao Senhor.
Quando você não pode fazer nada, apenas orar, então você pode tudo!

Fonte:Pregações e Estudos Bíblicos

Divulgação: www.jorgenilson.com

29 de nov de 2013

PAIS E FILHOS: AMIGOS



PAIS  &  FILHOS: AMIGOS !

" Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa,
e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te." Dt 6.7

" Ensina a criança no caminho em que deve andar,
e ainda quando for velho não se desviará dele." Pv 22.6
O cenário hoje não é nada bom, vemos o diabo divulgando os seus ensinamentos através dos meios de comunicação; com uma atenção toda especial dedicada às crianças, preparando-as para servi-lo e tem sido vitorioso. É só olharmos quantos jovens envolvidos com as drogas , marginalidade, prostituição, homossexualismo, etc.(2Tm 3.1-7)

E os pais Servos, devem preocupar-se com esta situação?
A resposta vem do próprio Senhor , veja os texto citados inicialmente
(Dt 6.6-8; Pv 22.6) retratam mandamentos que deve ser cumpridos por aqueles que querem ver os filhos crescerem na presença do Senhor e cheios do Espírito Santo.
Diz-nos um provérbio: "Tal pai, tais filhos"
É impossível criar filhos aos pés de Cristo, se os pais não estiverem nesta condição, o evangelho é para ser vivido na prática, nunca na teoria.
Pais, é indispensável serem cheios do Espírito Santo para tornarem-se participantes das muitas promessas de vitórias na educação e criação dos filhos.

Seguem-se algumas recomendações:
1) Amar a Deus - Marcos 12.30
O maior mandamento dado por Deus é o amor, quando se ama ao Senhor, morre-se para o mundo e suas ilusões e a vida torna-se uma com o Pai, possui-se a mente de Cristo e o revestimento do Santo Espírito. O nosso prazer resume-se em apenas um: Fazer a vontade do Eterno.
Este ensinamento deve fazer parte da vida da criança. (Pv 22.6)

2) Ensinando o Caminho - Deuteronômio 6.5-9
Para os judeus a Lei do Senhor era de suma importância, tinham zelo, um amor
muito grande e a ensinavam de pai para filhos, geração após geração.
A ação dos pais atualmente deve ser a mesma: dar importância à Palavra, amá-la e ser zeloso a transmissão dos ensinamentos.
É impossível que haja sucesso, se esta missão for deixada apenas nas mãos dos mestres, professores e pastores da igreja.
"Seja responsável pela educação e apresentação da suas crianças diante do altar."
3) O dia-a-dia - 1Rs 9.4
Alguns aspectos da vida das crianças devem ser observados pelos pais, isto requer tempo e comunhão e não pode ser realizado com sucesso por terceiros, faça você mesmo.
Esteja atento:
Melhor Amigo:

No decorrer dos dias, amigos e colegas hão de surgir na vida das crianças.
Aconselho-te, seja sempre o melhor amigo, o mais presente, o mais confiável, desenvolva laços profundos de amizade e respeito com elas.
Veja a relação entre Abraão e Isaque, como exemplo. ( Gênesis 22.1-19)
Conhecendo os amigos:
O controle sobre a vida da criança deve ser amplo e inclui uma particularidade,
conhecer amigos e colegas. É indispensável saber com quem anda seu filho, os lugares onde freqüenta .
Faça uma análise e quando sentir necessário deve proibi-lo.

Lembre-se: As crianças estão em formação e são altamente influenciadas.
 


Pr Elias R. de Oliveira

Materialismo na Igreja



 
Materialismo na Igreja
Paulo diz que o amor ao dinheiro é raiz de todos os males (1Tm 6.10). Diz que aqueles que quiseram se enriquecer caíram em laços e ciladas. A vontade de Deus é que tenhamos o necessário para viver, e que estejamos tranqüilos e confiantes nele para o nosso sustento (Mt 6.33).
A igreja, durante a sua história, envolveu-se com as riquezas deste mundo de tal forma que tem impedido o verdadeiro estabelecimento do Reino de Deus. O que geralmente ocorre é que em alguns grupos a grande quantidade de riquezas ocupa o tempo e o coração de seus líderes, ao mesmo tempo que em outros a falta de dinheiro gera intranqüilidade a ponto de levar seus obreiros a se envolverem no serviço secular.
Tanto num caso como noutro, os líderes acabam não dando tempo suficiente a Deus, e nem a devida assistência à igreja, que se torna debilitada e doente espiritualmente, e conseqüentemente também não contribui bem financeiramente. Desta forma, um círculo vicioso se instala: o obreiro intranqüilo não oferece boa assistência; um povo mal assistido não contribui!
Obviamente não temos pretensão de esgotar o assunto, que é extenso, mas queremos abordar algumas questões fundamentais, sem medo de tocar naquilo que está abaixo da superfície. Uma Igreja Comprometida Com o Poder Financeiro
A Igreja Católica, na Idade Média, chegou a concorrer com as maiores fortunas da época. Possuía riquezas de tal magnitude que dominava vidas de reis e imperadores. Essas riquezas eram adquiridas de diversas formas: vendas de indulgências; conquistas feitas durante as Cruzadas; posse das terras de pessoas amaldiçoadas por ela... (isso era mais comum do que se pensa).
As grandes catedrais construídas a partir do século XI vieram de uma crença que situava a presença de Deus nos edifícios: Deus estava nos grandes templos, e quem ajudasse a construir acumulava certos créditos diante dele, pois estavam construindo "a casa de Deus". Os sacerdotes se colocaram como representantes de Deus na terra, e isso ao ponto de ter poder de vida e morte sobre as pessoas. A separação entre clero e leigo foi acentuada de forma muito profunda.
A Semente Perversa Continua
Nos nossos dias essa restauração deve se aprofundar, pois a herança que recebemos de nossos pais desceu muito fundo em nossos hábitos religiosos e em nossa formação. Muitos protestantes e evangélicos condenam os excessos e desvios da Igreja Católica, enquanto continuam cegos às práticas e motivações que movem seus próprios ministérios e movimentos.
A área de finanças da igreja foi tocada somente em sua superfície, assim como outras áreas tais como: a forma de culto, a adoração individual, o cuidado das ovelhas, e o discipulado. O Senhor quer nos levar para seus padrões, para uma restauração de todas as coisas anunciadas pela boca de seus santos profetas (At 3.19-21).  O que aconteceu com a humanidade é que ela foi mergulhada num materialismo insano que domina toda sua forma de vida, suas ações, e seus ideais, e isso não deixou os cristãos ilesos.
A igreja assumiu uma mentalidade materialista de tal forma que sua maneira de agir não tem muita diferença dos padrões e alvos do mundo sem Deus. Seus cultos, seus ideais, sua forma de administração dos recursos — tudo está marcado pelo materialismo.
O Que é Realmente Sólido e Permanente?
O que é materialismo?
É uma forma de pensar, segundo a qual as coisas espirituais são abstratas, difusas e sem base, e as naturais são concretas e dignas de confiança. Porém, a Bíblia ensina diferente.
"Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas" (2 Co 4.18).
A maior parte da vida humana é dedicada à busca das coisas temporais como se fossem eternas. Entretanto, todas as coisas da terra estão se desgastando minuto a minuto e somente não o percebemos porque estamos na mesma dimensão e na mesma velocidade dessas coisas.
Se pudéssemos aumentar a velocidade, como se faz com os filmes, poderíamos ver as coisas que valorizamos apodrecerem e se tornarem em pó. Essas coisas são, por causa disso, abstratas no contexto espiritual e eterno, e não podemos nos basear nelas por serem de tão pouca duração. A eternidade e as coisas relacionadas a ela são concretas por sua duração e confiabilidade.
O materialismo invadiu a vida da igreja e até sua doutrina e expectativa escatológica, pois a visão da eternidade futura está carregada de cobiça material. Os crentes são encorajados a esperarem as mesmas coisas que buscam aqui, como amplas moradias (mansões), ruas bem pavimentadas (de ouro), e constante lazer e descanso.
Nossos pais nos passaram a visão de que sua grande expectativa era a glória da presença de Deus. Ansiavam por estar com o Senhor. As figuras que a Bíblia mostra apontam para realidades espirituais, alegorias, pois como se explica sete espíritos de Deus, mar de vidro, quatro seres viventes com olhos por diante e por detrás, com semelhança de leão, novilho, homem, e águia, e outras semelhantes?
Não pretendo interpretar essas coisas. Pretendo somente trazer à lembrança verdades valorizadas pelos que viveram antes de nós e que foram estabelecidas como referência para a igreja de hoje.
Cristãos como aqueles enumerados em Hebreus 11. Homens e mulheres que descobriram riquezas espirituais em Deus, e que por causa dessa descoberta desprezaram as coisas desse mundo, morando em cavernas, sendo perseguidos, vestindo-se de peles de animais, vendo o invisível, vivendo muito acima da maior dignidade desse mundo.
O Que Estamos Buscando?
Hoje muitos buscam na igreja a solução de problemas terrenos, e lutam pelo pão que perece, sem experimentar o contentamento por ter o que comer, o que beber e o que vestir.
Os alvos são ligados ao TER e não ao SER, como se o ter constituísse a vida do homem.
Estamos envolvidos por uma teia de propaganda de insegurança no futuro, e por isso nos mergulhamos numa busca inglória por bens materiais como se estes fossem confiáveis e nos trouxessem segurança.
A proposta do Senhor para nós é que, pelo fato de não sabermos o que nos espera, devemos lançar nosso pão sobre as águas e então, depois de muitos dias o recolheremos (Ec 11.1). Isso mostra que a forma de Deus agir é completamente diferente do pensamento do homem. Quando um pão cai nas águas derrete e é impossível recolhê-lo após algum tempo, muito menos depois de muitos dias. Deus apela para a nossa fé nele, no seu suprimento, nos seus milagres. Ele diz também que devemos "repartir com sete e ainda com oito, porque não sabes que mal sobrevirá à terra". Que diferente da mentalidade humana!
O povo cristão está sendo enganado, em grande parte, por um evangelho que anuncia BOAS COISAS e não BOAS NOVAS. Anuncia a busca da satisfação do coração, sem levar a experimentar o poder transformador da cruz de Cristo.
O Modelo de Jesus ou o Modelo das Empresas?
Os modelos de igreja hoje, em grande parte, são diferentes da igreja do livro dos Atos. O povo era ensinado a dar generosamente, servindo aos necessitados. Hoje o ensino é que ser rico é sinal da bênção de Deus e ser pobre é sinal de maldição.
De acordo com os padrões atuais o próprio Jesus teria dificuldade em ser pastor de algumas igrejas. O atual padrão de sucesso no ministério é estabelecido por três fatores: número de crentes, construção de prédios e saldo bancário. Quando um pastor tem um grupo pequeno e faz esse grupo crescer, ele é considerado relativamente bem-sucedido. Se construir novos prédios é um realizador. Se faz o saldo bancário subir, é bom administrador.
Creio que essas medidas são boas para empresas, pois apontam para uma realização natural e comercial. Se a empresa aumenta seu número de empregados, seus lucros e seu patrimônio, então podemos dizer que é uma empresa bem-sucedida. No entanto, não vejo como aplicar essas medidas para a igreja, pois o nosso modelo é o Senhor Jesus no seu ministério aqui na terra, e em nenhum momento o vemos preocupado com essas coisas.
Quantos seguidores o Senhor Jesus tinha? Não podemos contar na hora da distribuição dos pães. Somente devemos contar os discípulos, pois é nas horas de agonia que se revela o irmão e não nas horas de festa. Na cruz estava somente um discípulo!
Como eram as finanças de Jesus? Ele nasceu em um lugar que não era seu. Tinha uma profissão bem simples e usou um jumento emprestado na sua entrada em Jerusalém. Vestia-se com roupas doadas e fez um milagre para pagar o imposto. Para concluir, o tesoureiro era ladrão!
Quantos templos Jesus edificou? Quando foi levado por seus seguidores para que pudesse admirar as construções do Templo, falou em derrubar!
Se ele se apresentasse em algumas denominações com o intuito de se tornar pastor, certamente seria rejeitado. Definitivamente, seu padrão não condiz com alguns modelos de igreja que temos hoje.
Precisamos acordar!
Precisamos transformar-nos pela renovação do nosso entendimento, sob pena de ter as nossas obras rejeitadas pelo Senhor por completa incompatibilidade entre a sua planta, e o que nós estamos fazendo.
O Senhor somente vai encher de glória o que for construído segundo a planta dele. A sua presença somente vai ocupar aquilo que estiver de acordo com o modelo que ele apresentou, e não segundo os projetos que se parecem conosco.

José Jamê Nobre 

Fonte: Adorar.net
Divulgação: www.jorgenilson.com

26 de nov de 2013

Lições Bíblicas do dia 01 de dezembro de 2013

 
Lições Bíblicas do dia 01 de dezembro de 2013










Lições Bíblicas CPAD
Jovens e Adultos

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/h_line.jpg

4º Trimestre de 2013

Título: Sabedoria de Deus para uma vida vitoriosa — A atualidade de Provérbios e Eclesiastes
Comentarista: José Gonçalves

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/h_line.jpg

Lição 9: O tempo para todas as coisas
Data: 1 de Dezembro de 2013

TEXTO ÁUREO

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1).

VERDADE PRÁTICA

O tempo e o espaço em que vivemos são limitados, por isso, devemos ser bons despenseiros de Deus nesta vida.

HINOS SUGERIDOS

224, 227, 396.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Ec 1.4
A transitoriedade da vida

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

Terça - Ec 3.11
A eternidade de Deus

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

Quarta - Ec 9.11,12
O homem desconhece o tempo

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

Quinta - Ec 5.18,19
A satisfação do trabalho

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

Sexta - Ec 1.17,18
O tempo e o conhecimento

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

Sábado - Ec 2.4-11
O trabalho e a prosperidade como vaidades

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Eclesiastes 3.1-8.

1 - Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu:
2 - há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;
3 - tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar;
4 - tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar;
5 - tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar;
6 - tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora;
7 - tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar;
8 - tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.

INTERAÇÃO

Alguém poderia dizer que o livro de Eclesiastes mais parece uma obra secular que a Palavra de Deus. Mas na verdade ele se apresenta realista. Ali, Salomão apresenta uma perspectiva de desencanto com a vida, se incomoda com a transitoriedade da existência e conclui: tudo na vida é “vaidade”, isto é, passageiro. Se partirmos do ponto de vista de que o que Salomão está dizendo encontra-se interligado com o seu histórico de vida encharcado em pecado — ninguém mais do que ele sabia o que era viver uma vida outrora na presença de Deus, mas agora longe dos seus caminhos —, veremos que há apenas uma conclusão que ele poderia chegar: a vida sem Deus é vaidade!

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·         Conhecer o livro e a mensagem de Eclesiastes.
·         Explicar a transitoriedade da vida e a eternidade de Deus.
·         Administrar bem o tempo e as relações interpessoais.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Prezado professor para introduzir a lição desta semana sugerimos que você reproduza o esquema abaixo conforme suas possibilidades. Nesta lição, vamos iniciar o estudo do livro de Eclesiastes e, para isto, é imprescindível começarmos o estudo a partir de uma visão panorâmica de todo o livro. O esboço de Eclesiastes permite conhecer, de maneira panorâmica, seu conteúdo de uma só vez. Portanto, antes de iniciar a aula leia e analise o esboço juntamente com a classe.

ESBOÇO DO LIVRO DE ECLESIASTES

Autor: Salomão
Tema: A nulidade da vida à parte de Deus
Data: Cerca 935 a.C.
I. Introdução: A inutilidade Geral da vida Natural (1.2-11)
II. A inutilidade de uma vida egocêntrica (1.12 — 2.26)
   A insuficiência da sabedoria humana — 1.12-18
   A banalidade da vida (riquezas e prazeres) — 2.1-11
   A transitoriedade das grandes conquistas — 2.12-17
   Injustiça associada ao trabalho forçado — 2.18-23
   O real prazer da vida está em Deus — 2.24-26
III. Reflexões diversas sobre as Experiências da Vida (3.1 — 11.6)
   Concernentes às coisas de Deus — 3.1-22
   Experiências vãs da vida natural — 4.1-16
   Advertências a todos — 5.1-6.12
   Provérbios diversos a respeito da sabedoria — 7.1-8.1
   Sobre a justiça — 8.2-9.12
   Mais Provérbios variados sobre a sabedoria — 9.13-11.6
IV. Admoestações finais (11.7 — 12.14)
   Regozijar-se na juventude — 11.7-10
   Lembrar-se de Deus na juventude — 12.1-8
   Apegar-se a um só livro e temer a Deus — 12.9-14
   Temer a Deus e guardar os seus mandamentos

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave
Tempo: Duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro; período contínuo no qual os eventos se sucedem.

Muitos filósofos denominam os nossos dias de “a era do vazio e das incertezas”. Há uma explicação para isso: a rejeição à tradição bíblica propagada pelo Cristianismo. Podemos perceber o desencadeamento desse processo na relativização da ética e na total rejeição à verdade absoluta. Neste ambiente de contradições filosóficas não existe verdade, e sim “verdades” desprovidas de qualquer sentido.
O livro de Eclesiastes mostra a crise de um homem que vive a falta de harmonia existencial que hoje presenciamos. Procurando viver intensamente a vida, ele mergulhou num mundo duvidoso e sensual, para descobrir que a vida sem Deus é um mergulho no vazio e uma corrida atrás do vento.

I. ECLESIASTES, O LIVRO E A MENSAGEM

1. Datação do livro. Estudos indicam que o relato dos fatos ocorridos em Eclesiastes podem ser datados por volta do ano 1000 a.C., período no qual o rei Salomão governava Israel. De fato, o próprio Eclesiastes diz ser o rei Salomão o autor da obra sagrada (Ec 1.1, cf. v.12).
2. Conhecendo o Pregador. Salomão identifica-se como o pregador, traduzido do hebraico qoheleth (Ec 1.1,12). A palavra “pregador” deriva de qahal, expressão que possui o sentido de “reunião” ou “assembleia”. A Septuaginta (que é a tradução da Bíblia Hebraica para o grego) traduziu qoheleth pelo seu equivalente grego ekklesia, daí o nome Eclesiastes: uma referência a alguém que fala, ou discursa, em uma reunião ou assembleia.
O pregador foi Salomão, que já estava velho, mas tinha uma visão bem realista da vida. Conforme registradas em Eclesiastes, e embora retratem um período de declínio político, moral e econômico de Israel, suas palavras apontam para Deus como a única fonte de satisfação, realização e felicidade humana.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (I)

O nome Eclesiastes é uma referência a alguém que fala, ou discursa, em uma reunião ou assembleia.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

II. DISCERNINDO OS TEMPOS

1. A transitoriedade da vida. Um tema bem claro em Eclesiastes é o da transitoriedade da vida. Ela é efêmera, passageira. E Salomão estava consciente disso (Ec 1.4). Sendo a vida tão curta, que “vantagem tem o homem de todo o seu trabalho, que ele faz debaixo do sol?” (Ec 1.3). Esse é o dilema que Salomão procura responder.
A vida é passageira, dura pouco. Por isso, muitos buscam satisfazer-se de várias formas. Há os que acham que a sabedoria resolverá o seu problema (Ec 1.16-18; 2.12-16). Outros buscam preencher a sua alma com os prazeres dessa existência (Ec 2.1-3). Ainda outros recorrem às riquezas (Ec 2.4-11). E, por último, há aqueles que se autorrealizam no trabalho (Ec 2.17-23). Tudo é vaidade! O centro da realização humana não está nessas coisas.
2. A eternidade de Deus. Cerca de 40 vezes o Pregador refere-se a Deus no Eclesiastes. Ele o identifica pelo nome hebraicoElohim, o Deus criador. Isto é proposital, pois Salomão alude com frequência àquilo que acontece “debaixo do sol” (Ec 1.3,9,14; 2.18). É debaixo do sol que está a criação; é debaixo do sol que o homem se encontra.
Mas o Pregador tem algo mais a dizer. Ele quer destacar o enorme contraste entre a criação e o Criador, mais especificamente entre Deus e o Homem. Deus é eterno, onipotente, autoexistente, enquanto o homem é finito, frágil e transitório. Por ser mortal, o homem não deve fixar-se apenas nas coisas dessa vida, pois o Deus Eterno pôs a eternidade em seu coração (Ec 3.11 — ARA).

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Nas Escrituras, o tempo se mostra na transitoriedade da vida e na eternidade de Deus.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

III. O TEMPO E AS RELAÇÕES INTERPESSOAIS

1. Na família. O Eclesiastes ensina que uma das características de nossa vida é a brevidade. Por isso, devemos usufruir com intensa alegria, juntamente com o nosso cônjuge e filhos, dos bens que o Senhor nos proporciona (Ec 9.7-9), pois a vida pode rapidamente se acabar.
Nesse capítulo, Salomão refere-se a vários itens que eram usados pelos israelitas em ocasiões festivas (Am 6.6; Ct 1.3; 2Sm 14.2; Sl 104.15). O que isso significa? Antes de mais nada, que o nosso lar deve ser uma permanente ação de graças a Deus por tudo o que Ele nos concede.
Nossa casa deve ser um lugar de celebração. Desfrutemos, pois, as alegrias domésticas em companhia da esposa amada (Ec 9.9). A metáfora tem uma mensagem bastante atual: a família cristã, sem recorrer às bebidas alcoólicas e outras coisas inconvenientes e pecaminosas (Ef 5.18), pode e deve alegrar-se intensamente. A vida do crente não precisa ser triste.
2. No trabalho. O trabalho não deve ser um fim em si mesmo. Quando ele é o centro de nossa vida transforma-se em fadiga (Ec 5.16,17). Mas quando deixa de ser um fim em si mesmo, passa a ter real significado, tornando-se algo prazeroso, não pesado (Ec 5.18).
A palavra traduzida do hebraico samach é “gozar”, evocando regozijo e alegria. Isto significa que o nosso local de trabalho deve ser um lugar agradável e alegre, fruto das relações interpessoais sadias.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (III)

O relacionamento familiar do crente deve ser intenso, assim como o trabalho deve ser uma atividade prazerosa e agradável.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

IV. ADMINISTRANDO BEM O TEMPO

1. Evitando a falsa sabedoria e o hedonismo. A busca pelo conhecimento tem sido o alvo do homem através dos séculos. Salomão também empreendeu essa busca (Ec 1.17,18). Mas quem procura o conhecimento desperta a consciência em relação ao mundo ao seu redor, e é tomado por um sentimento de impotência por saber da própria incapacidade de melhorar a natureza das coisas. Nesse aspecto, a busca do conhecimento, como o objeto de realização pessoal, pode conduzir à frustração.
Semelhantemente, a busca por prazer, por si só, configura uma prática hedonista e contrária a Deus (Ec 2.1-3). Muitos são os que buscam a satisfação no álcool, drogas, sexo, etc. Tudo terminará num sentimento de vazio e frustração. Quem beber dessa água tornará a ter sede (Jo 4.13). Somente o Evangelho de Cristo pode satisfazer plenamente o ser humano.
2. Evitando a falsa prosperidade e o ativismo. Em Eclesiastes 2.4-11, Salomão desconstrói a ilusão daqueles que buscam, nos bens terrenos, a razão fundamental para a vida. A falsa prosperidade leva o homem a correr desenfreadamente para acumular riquezas, alcançar elevadas posições na sociedade e obter notoriedade e fama. Tudo isso, conclui o sábio, é correr atrás do vento.
Por outro lado, e não menos danoso, é a prática de um ativismo impiedoso, que pode estar nas esferas da profissão ou de qualquer outra prática (Ec 2.17-23). Isso também é correr atrás do vento. O trabalho, quando empreendido racionalmente, não nos desumaniza, mas nos faz crescer como pessoas.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (IV)

Para administrarmos bem o nosso tempo devemos começar por evitar a falsa sabedoria, o hedonismo, a falsa prosperidade e o ativismo. Estes roubam-nos o tempo.

http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

CONCLUSÃO

Vimos que há um tempo para todas as coisas! Esse tempo é extremamente precioso para ser desperdiçado! Por conta da transitoriedade da nossa existência, devemos saber usar bem o nosso tempo, seja buscando conhecimento, seja desfrutando da companhia de nossos familiares e, principalmente, servindo ao Senhor. Somente Deus é eterno e somente Ele deve ser o centro de nossa busca.

VOCABULÁRIO

Hedonismo: Doutrina que ensina o prazer como o bem supremo da vida.
Tangíveis: Tocável, sensível, palpável.
Esfinge: Na Grécia antiga, monstro fabuloso que propunha enigmas aos viandantes e devorava quem não conseguisse decifrá-los. Pessoa enigmática, que pouco se manifesta e de quem não se sabe o que pensa ou sente.
Niilismo: Ponto de vista que considera que as crenças e os valores tradicionais são infundados e que não há qualquer sentido ou utilidade na existência.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

MELO, J. L. de. Eclesiastes versículo por versículo. RJ: CPAD, 1999.

EXERCÍCIOS

1. Quem é o autor do livro de Eclesiastes?
R. Salomão.

2. A que se refere o termo “Eclesiastes”?
R. A alguém que fala, ou discursa, em uma reunião ou assembleia.

3. Qual dilema Salomão procura responder no Eclesiastes?
R. Sendo a vida tão curta que “vantagem tem o homem de todo o seu trabalho, no que ele faz debaixo do sol?” (Ec 1.3).

4. Qual a mensagem atual da metáfora de Eclesiastes 9?
R. A família cristã, sem recorrer às bebidas alcoólicas e outras coisas inconvenientes e pecaminosas (Ef 5.18), pode e deve alegrar-se intensamente.

5. Como a falsa prosperidade se revela na vida do homem?
R. Ela leva o homem a correr desenfreadamente para acumular riquezas, alcançar elevadas posições na sociedade e obter notoriedade e fama.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I

Subsídio Exegético

“O tema do livro de Eclesiastes é que ‘debaixo do sol [isto é, ‘sem Deus no cenário’], tudo é vaidade’. A palavra-chave do livro é ‘vaidade’, que aparece trinta e oito vezes, sendo usada para descrever coisas externas e tangíveis (Ec 2.15,19; 8.10,14), bem como pensamentos (Ec 1.14; 2.11). O vocábulo ‘vaidade’ origina-se do hebraico hebhel [...], que enfatiza aquilo que é efêmero e vazio. A expressão ‘vaidade de vaidades’ indica a maneira hebraica de expressar um superlativo (poderia ser traduzida como ‘muito fútil’). Este método também é visto na expressão ‘lugar santíssimo’ (Êx 26.34), cujo significado literal no idioma hebraico é ‘santo dos santos’.
[...] A perspectiva de Salomão na época em que ele escreveu é a chave para entender o livro de Eclesiastes de modo apropriado, e para explicar o seu pessimismo geral. Salomão escreve do mesmo ponto de vista em que tinha vivido a maior parte da sua vida, e a de ‘debaixo do sol’ (Ec 1.3, e 30 outras ocorrências). É com a perspectiva terrena e secular que a vida se torna fútil. Ainda assim, há momentos que a fé de Salomão em Deus se dá a conhecer (Ec 12.13,14 é normalmente mencionado, mas este é somente o clímax de pensamentos como 2.25; 3.11,17...)” (Bíblia de Estudo Palavras-Chave: Hebraico e Grego. 2 ed., RJ: CPAD, 2011, pp.701-02).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II

Subsídio Bibliológico

“Peculiaridades do Livro de Eclesiastes
A palavra ‘Eclesiastes’ vem do grego. É o título do livro na Septuaginta e significa: ‘Aquele que fala a uma assembleia’.
No hebraico é Qohéleth. Pode ser traduzida de muitos modos como: ‘o Pregador, o Sábio, o Velho, O que sabe, o Sapiente Venerado, o Colecionador de Máximas, O que sabe que não sabe’.
Como a palavra Qohéleth tem forma feminina, alguém pensa que deve significar uma assembleia ou reunião. A mesma palavra de 1.1 aparece em 7.27, significando a sabedoria dada por Deus para inspirar Salomão. Pode ser entendida como a própria sabedoria pregando a sabedoria.
Qohéleth, ‘Pregador’, é empregado aqui como um nome de Salomão.
O Eclesiastes revela um esforço buscando a felicidade. O autor procurou o bem supremo na sabedoria, nos prazeres, na política, nos bens materiais, e concluiu que tudo é vaidade e aflição de espírito.
Tem sido considerado o livro mais misterioso do Cânon Sagrado. Para uns, é a esfinge da literatura hebraica.
Alguém acha que o texto apresenta uma alma em desespero, afirmando um materialismo puro ou um niilismo ativo.
Há uma opinião considerando o Eclesiastes um monólogo em que o Pregador expõe sozinho suas ideias, ao contrário dos outros livros da Bíblia que, em geral, têm uma forma de diálogo com Deus” (MELO, J. L. de. Eclesiastes versículo por versículo. RJ: CPAD, 1999, pp.17-18).

SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO

O Tempo Para Todas as Coisas

Acredita-se que Salomão é o autor do livro de Eclesiastes. De acordo com a tradição judaica, ele teria escrito o livro na sua velhice, quando estava separado da comunhão com Deus devido ao seu pecado. De acordo com a Bíblia de Estudo Pentecostal(CPAD), o título do livro no hebraico significa “aquele que reúne uma assembleia e lhe dirige a palavra”, ou seja, pregador. Podemos observar que o vocábulo “pregador” aparece setes vezes no livro (1.1,2,12; 7.27; 12.8-10).
Eclesiastes é o registro da vida de um homem que teve tudo de melhor que a vida pode oferecer, porém longe dos propósitos divinos, só encontrou vazio e desilusão. Suas palavras foram: “vaidade” (Ec 1.2). A palavra vaidade empregada em Eclesiastes significa vazio, sem valor, desilusão. Sem Deus a vida se torna cansativa, enfadonha, decepcionante. De nada adianta trabalhar, ter dinheiro, conhecimento e fama. Eclesiastes nos mostra que o caminho trilhado por Salomão o levou a um vazio muito grande. Atualmente as pessoas também estão numa busca desenfreada pelas coisas deste mundo, e o resultando é que o número de pessoas deprimidas, ansiosas e doentes (no físico, na mente e na alma) vem aumentando de modo assustador. O sentimento de vazio que existe na alma do ser humano não pode e jamais poderá ser preenchido com coisas materiais, prazeres, psicotrópicos. Este vazio só Deus pode preencher.
O trabalho, assim como os bens materiais é bênção de Deus. Porém quando utilizado de maneira errada, egoísta faz com que o sentimento de inutilidade logo se estabeleça. Foi o que aconteceu com Salomão. Ele abandonou os preceitos de Deus e deixou de usar o seu dom para benefício do seu povo, do próximo (2Cr 10.4,5). As políticas adotadas por ele deixaram de serem boas (1Rs 11). O comércio com outras nações trouxe riquezas, mas também fez com que os deuses estrangeiros se instalassem no meio do povo. O gasto com as construções superou suas finanças e o jeito foi aumentar os impostos. O povo sofria com as taxas cobradas. Ao morrer, Salomão deixou um reino que estava prestes a ruir. “É tudo vaidade!”.
A vida com Deus é bela, porém muito curta. O tempo que temos é algo precioso. Por isso, precisamos pedir ao Pai sabedoria para não desperdiçar o tempo que temos. A sabedoria vai nos ajudar a desfrutar a vida com bom senso (Sl 90.12). Como despenseiros do Senhor teremos que prestar contas a Deus do uso que fizemos do nosso tempo.

Fonte: CPAD
Divulgação: www.jorgenilson.com