Seguidores

31 de jan de 2014

Fã grava vídeo dizendo que “Deus matará” o esposo da cantora Damares para que ela se case com ele; Assista


Fã grava vídeo dizendo que “Deus matará” o esposo da cantora Damares para que ela se case com ele; Assista


damares
A cantora Damares está, involuntariamente, no centro de uma polêmica que circula nas redes sociais. Um rapaz publicou um vídeo dizendo que pediu a cantora como esposa, e como ela é casada, Deus teria prometido matar seu esposo para que ela pudesse corresponder a seus sentimentos.
A história inusitada e intrigante foi contada por Alex Cavalcante, e segundo ele, Deus irá “quebrar todas as regras” para dar a cantora a ele como esposa.
“Damares, o Senhor me concedeu você como esposa. Quero avisar que esse vídeo é pra você, e que você saiba que o Senhor quebrará todas as regras porque Deus é Deus, e tudo Ele pode para dar vitória a um filho d’Ele. E o Senhor disse a mim que vai te dar como esposa. E quero avisar a todos que o Senhor Deus matará teu esposo para te dar a mim como esposa. Assim é a obra do Senhor na minha vida. Eu agradeço e aguardo Damares. Eu te amo”, disse Alex.
A “profecia” do jovem apaixonado pela cantora repercutiu nas redes sociais de forma intensa, e muitos internautas expressaram sua perplexidade com o conteúdo do vídeo. “Foi assim que um fã matou John Lennon… Deus proteja a Damares desse psicopata!”, escreveu Vincent Samuel.
O usuário Leandro Carioca seguiu a mesma linha: “Tu precisa de muita oração pra aprender a ser evangélico, toma vergonha nessa cara, isso aí foi um sonho que tu teve. Sua idolatria pela Damares é maior do que por Deus, se é que você é crente mesmo. Leia os 10 mandamentos: Não cobiçarás a mulher do próximo, seu doente! Vai se tratar!”, sugeriu, indignado.
“Se eu fosse a Damares fazia um boletim de ocorrência. Isso é um louco, enviado do inferno para causar difamação, fofoca e besteirol no meio da igreja do Senhor. Isso merece ser internado não, isso merece ser é preso para parar de falar besteira!”, criticou Leandro Oliveira.
Outros optaram pelo humor para reprovar a ideia de Alex: “Acho que esse deus dele, que mata um marido pra dar outro… Tá mais pro capiroto!”, disse Raphael Netto.
O pastor Ciro Zibordi também comentou o vídeo: “Sei que esse ‘post’ é engraçado. Mas, quando se fala em matar, a coisa muda. A maioria dos assassinos de mulheres não são levados a sério, até que eles praticam o crime. Penso que esse cidadão deveria ser denunciado, pois o que ele fez, mesmo aparentando muita ‘espiritualidade’, foi uma ameaça velada. Se ele diz que Deus matará o esposo da cantora, o que garante que ele mesmo não pode fazer isso ou pedir para alguém fazê-lo, uma vez que ele está convencido ‘por Deus’ de que a cantora será sua esposa após a morte de seu marido?”, alertou.
Assista ao vídeo com a “revelação” da morte do marido da cantora Damares:
Fonte: Gospel Hoje
Divulgação: www.jorgenilson.com

Brasil em crise e Dilma dando quase um bilhão de dólares para a ditadura cubana


Brasil em crise e Dilma dando quase um bilhão de dólares para a ditadura cubana

Julio Severo
Rachel Sheherazade, âncora do telejornal “SBT Brasil,” denunciou que Dilma Rousseff, está dando rios de dinheiro para a ditadura de Cuba. Assistam à denúncia aqui: http://youtu.be/SKD_Hhw-JW0

Eu poderia pensar: “Que me importa? Não votei nela!” Sim, não votei nela, mas o dinheiraço que ela está dando para Cuba não vem pelo fato de que ela, Lula e outros ricaços do PT venderam tudo o que têm para dar para o pobre povo cubano.
Se o dinheiro tivesse vindo apenas dos que burramente votaram em Dilma e no PT, eu também não me preocuparia tanto. Mas a conta de tudo o que Dilma está dando à ditatura cubana não vai ser do PT. Vai ser do povo brasileiro, mesmo dos que não votaram na quadrilha que não cessa de roubar do Brasil.
O que mais dói é ver que grandes líderes evangélicos deram apoio a Dilma, inclusive Bispo Manoel Ferreira, Marcelo Crivella, Robson Rodovalho, Ariovaldo Ramos, CNBB e outros. Por justiça, todos os caríssimos presentes de Dilma para Cuba deveriam ser cobrados das contas desses líderes, não de quem não votou nela.
A desculpa deles para apoiar Dilma foi que o PT tinha promessas de ajuda aos pobres. Ora, Jesus ensinou, no capítulo 6 de Mateus, que comida, roupa e habitação são necessidades legítimas. E o que ele apontou como solução para suprir todas essas necessidades?
Jesus disse:
“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33 NVI)
Bispo Manoel Ferreira, Marcelo Crivella, Robson Rodovalho, Ariovaldo Ramos, CNBB e outros não buscaram o Reino de Deus em favor de si e dos pobres do Brasil, pois o mandamento de Jesus Cristo não os orientou a buscar o reino de Lula, da Dilma, do PT, do PSDB, etc.
Eles buscaram o reino deste mundo, e agora as riquezas do Brasil e de nossas famílias estão sendo canalizadas para a ditadura de uma ilha longínqua.
Não me levem a mal os seguidores desses homens, mas Rachel Sheherazade tem mais “palavras proféticas” do que esses buscadores do reino deste mundo.
Semanas atrás, postei um vídeo do pastor calvinista Mark Driscoll acusando os teólogos cessacionistas de mundanos por não crerem que o Espírito Santo dá hoje dons sobrenaturais como profecia, visões, etc. Mas quem busca o reino deste mundo também é mundano. Bispo Manoel Ferreira, Robson Rodovalho e outros creem nesses dons, mas foram mundanos ao buscar o reino da Dilma para suprir as necessidades materiais do Brasil.
O reino que eles buscaram está agora suprindo as “necessidades” da ditatura cubana que, mesmo depois de ter sugado todo os seu povo, nada produziu, a não ser miséria e opressão.
O reino deste mundo de Bispo Manoel Ferreira, Marcelo Crivella, Robson Rodovalho, Ariovaldo Ramos, CNBB e outros está investindo pesadamente no governo de miséria e opressão de Cuba.
Divulgação: www.jorgenilson.com

Manifestantes promovem beijaço gay em evento com Marco Feliciano


Manifestantes promovem beijaço gay em evento com Marco Feliciano


Manifestantes promovem beijaço gay em evento com Marco Feliciano
Feliciano afirma que beijaço gay só fortalece possível candidatura presidencial

A presença do deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC) em um evento em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, agitou grupos gays da região, que marcaram uma manifestação.
Embora quase 200 pessoas tenham confirmado presença no evento pelo Facebook, somente umas 30 apareceram. Era possível ver algumas bandeira do arco-íris, símbolo do orgulho LGBT, e algumas faixas com frases de protesto. Diante delas, três casais se apresentaram para promover o “beijaço” prometido.
Cristiano Vasconcelos integrante da Juventude Popular Socialista, um dos organizadores do protesto, afirmou: “Nosso beijaço é um ato de repúdio às ideias fundamentalistas do pastor Marco Feliciano. Estamos aqui para mostrar que o País é livre e laico, que a homossexualidade é natural… Queremos mostrar que temos direito a amar livremente”.
As estudantes gays Maria Augusta Brandão e Mia Aragão, que participaram do “beijaço”, explicam que estavam fazendo uma tentativa de combater a homofobia e afrontar as “posturas preconceituosas” de Feliciano.
Mesmo assim, o movimente não passou despercebido pelo político. Ainda em cima do trio elétrico “Projeto Libertador”, Feliciano revidou: “Vocês [manifestantes] estão me fazendo um bem tremendo e eu fiquei ainda mais forte depois disso. Esse povo ajuda na minha candidatura à Presidência da República”.
Durante o sermão, afirmou que estava ali como pastor, não como político. Como lhe é característico, não se deixou intimidar e ainda provocou: “Vamos bater palmas para eles. Só peço que respeitem os que vieram aqui para orar”. Mais tarde, contou: “Certa vez, um representante do movimento LGBT foi ao Congresso e se disse impressionado em como as críticas contra mim só me deixaram mais forte”.
Sua pregação, baseada em passagens do livro de Provérbios, abordou as inconsequência da juventude. Nesta sexta (31), Feliciano participará de outro evento em Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho. Coordenado pelos irmãos André e Anderson Ferreira há 15 anos, os eventos do projeto Libertador reúnem cerca de cinco mil pessoas.
Anderson Ferreira, que é deputado federal pelo PR, afirmou: “Protestar é democrático. Mas ninguém gostaria que entrassem na sua casa e o ofendessem. Havia crianças e idosos presentes e acho o que fizeram uma falta de respeito com eles. O povo está idiotizado. Acreditam em tudo o que ouve ao meu respeito. Sou um legislador que defendo uma parcela da sociedade”.
Já André Ferreira, vereador pelo PMDB local, conta que foram agendadas com Feliciano pelo menos 10 pregações no estado até maio deste ano. Eles esperam que não haja mais manifestações do tipo. O vereador se diz surpreso, pois no ano passado, Feliciano esteve em Pernambuco 15 vezes e não houve a mesma polêmica. “Antes divulgávamos o evento através de programas de rádio voltados para o segmento evangélico. Desta vez, postei no Facebook e logo se criou toda a polêmica”, disse.
Não é a primeira vez que Marco Feliciano fala sobre ser presidente. Numa entrevista em 2012, esclareceu o assunto: “Este não é só um sonho meu, mas um sonho de cada evangélico neste país. Saber que somos o país com maior crescimento no número de evangélicos e que temos que enfrentar projetos absurdos como os condidos na reforma do Código Penal. Eu sonho com o governo dos justos e com o dia em que o presidente desta nação vai ouvir o que cada pastor tem a dizer sobre estes projetos”.
Ela voltou a falar sobre isso no ano passado, mas nas eleições deste ano o mais provável é que Feliciano tente a reeleição a deputado. Nos últimos meses parece ter crescido a expectativa que ele tente uma vaga para o Senado. Além disso seu partido, o PSC, já tem um candidato a presidente para 2014, o pastor Everaldo PereiraCom informações de Estado de Minas e Ne10.
Divulgação: www.jorgenilson.com

30 de jan de 2014

Líder da Igreja Deus é Amor, afirma que fiéis que deixaram a denominação “vão morrer”; Ouça


Líder da Igreja Deus é Amor, afirma que fiéis que deixaram a denominação “vão morrer”; Ouça


davi_miranda
O missionário David Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor, afirmou que os fiéis da denominação que deixaram de frequentá-la morrerão.
A fala, com tom de ameaça, aconteceu durante uma pregação do missionário, que alegou ter recebido o alerta do Espírito Santo.
“Eu quero falar, para aqueles irmãos e irmãs que eram da Igreja Deus é Amor, e aceitaram Jesus, o divino Espírito Santo está me revelando: vocês que foram para outra igreja, estão doentes, enfermos… Vocês vão morrer. Prepara para encontrar com a morte. Quem está dizendo é o Espírito Santo, porque você prometeu que nunca deixaria a Igreja Deus é Amor. A Bíblia diz que é melhor não prometer, do que prometermos e não cumprirmos”, disse o líder pentecostal.
A Deus é Amor é uma denominação com décadas de tradição pentecostal ultraconservadora, e conhecida por algumas determinações controversas em relação à higiene feminina e à vida sexual de casais que são membros da igreja. David Miranda também é conhecido por pregar que evangélicos não devam ter televisores em casa, por estes serem a “imagem da besta” mencionada no Apocalipse.
Há quase dois anos, David Miranda chamou a atenção dos evangélicos em geral por dizer que as redes sociais “são instrumentos do diabo e muitos crentes caíram no laço”.
“Muitos crentes estão escrevendo o diário de sua vida ali. Isso é de satanás, isso não é de Deus. O inferno se levantou contra você para te ganhar nesses aparelhos diabólicos”, disse o líder religioso à época.
Confira a fala do missionário David Miranda sobre a morte dos fiéis que abandonaram a Deus é Amor:
Se fosse só na Deus é Amor. Há líderes nas convenções e igrejas co-irmãs que também falam isso. 
Fonte: Gospel Mais
Divulgação: www.jorgenilson.com

A Jornalista do SBT dá uma declaração polêmica que pode tirar a elei

A Jornalista do SBT dá uma declaração polêmica que pode tirar a eleição de Dilma


A censura, essa Quimera


A censura, essa Quimera

Falar sobre a censura no meio evangélico é falar sobre uma rede extensa e complexa de interesses. Buscar primeiro o...

A censura, essa QuimeraA censura, essa Quimera
Falar sobre a censura no meio evangélico é falar sobre uma rede extensa e complexa de interesses. Buscar primeiro o reino de Deus ficou em último lugar, e hoje muitos pastores, teólogos, doutores, presidentes e advogados de associações que se denominam evangélicas, além de blogueiros e donos de site exercem a censura como meio de fazer prevalecer seu ponto de vista sobre as opiniões e as pessoas das quais discordam.
Censura. Pressões, chantagens. Parafraseando Shakespeare, há mais coisas entre evangélicos e a vida mundana do que pode supor nossa vã filosofia. Tenho um blog simples. Aliás, dois. Um no qual procuro discutir temas ligados à política e à religião, além de incluir postagens várias sobre literatura, música, cinema etc., e outro, no qual público exclusivamente textos literários de minha autoria. Sou professora de uma universidade, gosto muito do que faço e em geral não me sobra tempo para postar com regularidade, a não ser nas férias, ou em um feriado prolongado. Então os blogs não são, definitivamente, uma atividade prioritária na minha vida.
Independentemente disso, desde que comecei a criticar um senhor calvinista que detém poder e influência, o nome do meu blog de textos político-religiosos desapareceu da listagem de vários blogs, inclusive de blogs de pessoas que estão em minha lista de amigos no Facebook, por exemplo. Coincidência? Tenho um amigo que passou pela mesma experiência.
A rede de interesses, barganhas, chantagens, comunicações subterrâneas, “truques” e atos aparentemente inocentes existe para tirar do oponente qualquer possibilidade de réplica e crítica. Esses que não gostam de críticas ostentam a imagem de amantes do debate. Mas o “debate” não ocorre, porque a mão pesada da censura e da intimidação elimina o gosto desagradável e incômodo do questionamento. Hoje não se questiona mais por que a teologia cessacionista é errada à luz da Bíblia. A web está repleta de blogs e sites pentecostais, mas ninguém fala nisso. Blogueiros pentecostais acham mais importante falar como a música pentecostal é ruim e sem imaginação a confrontar uma teologia visivelmente satânica.
Blogs cujos donos ou administradores pentecostais publicam artigos do senhor ao qual me refiro no início deste texto sem nenhum constrangimento – e escolhem em geral fotos muito boas para ilustrar seus textos! Que bom! Design é tudo. Ninguém ousa pensar. O mais irônico é que tanto se critica os neopentecostais por “não pensarem”. E isso é demonstrado quando publicam artigos do senhor teólogo que vê heresia, pura e simplesmente, nas experiências pentecostais.
Minha expressão de espanto é sobrepujada pela amargura em perceber a estrutura diabólica que tem alimentado a rede de blogs “evangélicos”. Aí vem a blogueira que sente “uma necessidade quase física” (sabem que eu gostei disso? É tão Lars Von Trier!) de expressar seus pensamentos… Seu blog é uma “tentativa” de “recolocar o cristianismo na via dos debates intelectuais”. Bonito, não? Não! Porque em um artigo recente ela diz exatamente o contrário! Ela diz que devemos separar bem as coisas: uma coisa é a igreja, outra é a universidade. Então para quê “recolocar o cristianismo na via dos debates intelectuais”? Mais adiante, ela explica humildemente (ainda bem, porque penso que seus textos são pedantes, e que ela é cheia de orgulho, habilmente encoberto por uma humildade falsa – uma das maiores evidências do orgulho): “Não por pedantismo ou orgulho, mas por uma necessidade quase física de dar nomes às minhas intuições”.
Segundo o artigo dessa moça, publicado na revista virtual “Teologia Brasileira”, teologia é uma coisa, mundo acadêmico é outra. E quem diz o contrário é… “conservador”! Ou seja: não podemos criticar o que ocorre em uma universidade como a Mackenzie, da Igreja Presbiteriana. Segundo ela, esse silêncio se chama “maturidade cristã”. Mas eu chamo de censura. Os que questionam o que ocorre na Mackenzie são tachados de conservadores, pessoas de visão turva, pouco inteligentes, mal esclarecidos. Afinal, como está escrito em Tito 1:15,  “tudo é puro para os que são puros…” Não é assim que os cristãos liberais justificam Marx, Luiz Mott, Teologia da Libertação, Missão Integral et caterva no meio evangélico? É assim também que os cessacionistas justificam qualquer coisa. Justificam o Genizah, justificam as pressões, justificam a censura, justificam as ações nada cristãs da Anajure a favor de uma denominação específica, de uma visão teológica estreita, de determinadas pessoas e blogs.
E mais uma coisa, que eu já disse em texto anterior: a censura ocorre também contra os que a praticam. A liberdade plena é concedida apenas aos cessacionistas: eles escrevem e publicam o que bem entendem, no blog de quem bem entendem. Em seus blogs, não há nem mesmo uma citação ou link para qualquer blog pentecostal — nem mesmo para os blogs que os citam, elogiam e divulgam. Definitivamente, esse desequilíbrio é a face mais visível de um processo de degradação espiritual sem precedentes no meio. Uma “tentativa” de “recolocar o cristianismo na via dos debates intelectuais”. Bonito, não? Mas toda turma cessacionista odeia ter sua heresia cessacionista contestada, questionada, debatida. Essa blogueira é incapaz, por agradecimento, por cortesia ou por gratidão, de citar ou divulgar os links dos blogs que recomendam seu blog como digno de ser lido. O que é isso? Uma opção pessoal, diriam alguns. Censura, eu afirmo.
Desisti de escrever para um portal de blogs para o qual escrevia sobre política. Minha interlocutora, ali, sempre foi de uma gentileza ímpar comigo. Mas uma entrevista que dei para o Blog do Júlio Severo foi rejeitada. Foi censurada. Não pela minha interlocutora, mas por irmãos pentecostais que têm interesses em jogo com a VINACC, a Mackenzie e a Anajure, todas dominadas pela fatia cessacionista da Igreja Presbiteriana, sobretudo na figura do ilustre chanceler. Não, não é coincidência. Isso tem nome. Isso tem explicação. Isso tem autor. Isso tem razão de ser. Pense com sua cabeça, investigue e analise. Você vai se surpreender.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.jorgenilson.com

Até quando o Brasil vai tolerar as mentiras e loucuras de Jean Wyllys e Maria do Rosário?


Até quando o Brasil vai tolerar as mentiras e loucuras de Jean Wyllys e Maria do Rosário?

Julio Severo
Quando o jovem homossexual Kaique Augusto Batista dos Santos apareceu morto dias atrás em São Paulo, Jean Wyllys já sabia a resposta: “homofobia.” O deputado, quase sempre alucinado, disse em seu típico tom estridente: “Kaique foi morto. Outros virão. Cada vítima tem um assassino. Mas há outros, no Congresso, no governo e nas igrejas.”
Ele levou suas estridentices à Carta Capital, que, se tivesse um pingo de jornalismo real, teria investigado o caso. Mas quem trabalha com motivações ideológicas não precisa apurar nada nem se preocupar com a verdade.

A Pizzaria Brasil, em excelente vídeo intitulado “Os Caçadores de ‘Homofóbicos’’’ (http://youtu.be/MFKDlQKURaQ) deu até agora a melhor versão do caso.
A versão oficial da polícia de São Paulo foi que o rapaz se matou depois de sair de um boate gay. O motivo do suicídio? Perdeu o amante. Mas para Jean Wyllys, quem foi o culpado? Ele disse, na Carta Capital, sobre o caso Kaique: “Em cada caso aparece, como pano de fundo, o discurso de ódio alimentado por igrejas caça-níquel e pela bancada fundamentalista no Congresso federal, que em 2013 ganhou de cínico presente, com o apoio da bancada governista, a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. É claro que a violência é praticada por pessoas violentas e os agressores são responsáveis por seus atos, mas não é por acaso que as vítimas dessas agressões sejam, repetidamente, jovens homossexuais, e que muitas vezes as pancadas venham acompanhadas por citações bíblicas. A culpa não é da Bíblia, mas dos charlatães que, em nome de uma fé que não têm, distorcem seu texto e seu contexto para usá-la contra a população LGBT, pregando o ódio e convocando a violência. Eles fazem isso por dinheiro e poder — ou você acha que realmente acreditam em alguma coisa? — e o resultado é um país que já se acostumou a assistir no Jornal Nacional à morte de mais um jovem gay, mais uma jovem lésbica, mais uma travesti ou uma pessoa transexual, vítimas do ódio irracional que os fundamentalistas promovem.”
Isto é, se o jovem homossexual se suicidou, a culpa não é a perda de seu amante ou envolvimento em depravada boate gay, mas do “ódio irracional que os fundamentalistas promovem” — que são as igrejas, a bancada evangélica e Marco Feliciano!
Recado de Julio Severo para Jean Wyllys via Twitter
Anos atrás, no artigo “Homolatria: As vítimas VIP da violência no Brasil,” apontei que não existe nenhum holocausto homossexual no Brasil. Mas Wyllys e outros insistem em ver por toda parte homossexuais assassinados por “homofobia” — de preferência, assassinados por pastores e outros cristãos. Sem mencionar que incham todos os números, como sempre fizeram com a parada gay.
Já nos casos de pessoas assassinadas por homossexuais, Wyllys e sua turma silenciam, como mostrei no artigo: “Dois assassinatos horrendos, um assassino e nenhum homossexual.”
Mas a loucura sobre o suicídio de Kaique não veio somente de Wyllys. Augusto Nunes, colunista da revista Vejadiz:
Maria do Rosário resolveu tudo com outra nota oficial cuja essência é reproduzida a seguir:
“A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República vem a público manifestar solidariedade à família de Kaique Augusto Batista dos Santos, assassinado brutalmente no último sábado (11/01). (…) “As circunstâncias do episódio e as condições do corpo da vítima indicam que se trata de mais um crime de ódio e intolerância motivado por homofobia. (…) Diante desse quadro, reiteramos a necessidade de que o Congresso Nacional aprove legislação que explicitamente puna os crimes de ódio e intolerância motivados por homofobia no Brasil, para um efetivo enfrentamento dessas violações de Direitos Humanos”.
Nesta terça-feira, a mãe de Kaique admitiu que o filho cometeu suicídio, hipótese robustecida por mensagens escrita por Kaíque, filmes e depoimentos. Os que embarcaram nas fantasias de Maria do Rosário vão caindo fora da nau dos insensatos. Maria do Rosário continua por lá. E continua ministra. É o Brasil.
Foi Nelson Rodrigues quem constatou que os idiotas estavam por toda parte. Menos de 50 anos depois da descoberta, os cretinos fundamentais são amplamente majoritários no primeiro escalão do governo federal.
Mesmo assim, com sua abundante mente fantasiosa de crimes de ficção, Wyllys inventou um quadro melodramático de assassinato “homofóbico” para Kaique.               
Sem medir os neurônios, ele diz: “Essa loucura tem de parar! E tem que parar a hipocrisia e o oportunismo dos políticos sem coragem que fazem de conta que não veem o que acontece.”
Sim, concordo. As loucuras de Wyllys têm de parar! E tem que parar a hipocrisia e o oportunismo dos políticos sem coragem que fazem de conta que não veem as mentiras e loucuras de Wyllys e Maria do Rosário.
Wyllys lamentou que o Senado tivesse enterrado o PLC 122, impedindo que os autores de “assassinatos homofóbicos” como o de Kaique recebessem uma pena agravada. Os autores, para Wyllys, são as vítimas de sempre: as igrejas, a bancada evangélica e Marco Feliciano.
Usando de mais estridência, o deputado gay desvairado grita:
“Eu já disse uma vez e vou repetir. Cada uma dessas vítimas tem um algoz material — o assassino, aquele que enfia a faca, que puxa o gatilho, que "desce o pau", como o pastor Malafaia pediu numa de suas famosas declarações televisivas. Mas há outros algozes, que também têm sangue nas mãos. São aqueles que, no Congresso, no governo e nas igrejas fundamentalistas, promovem, festejam, incitam ou fecham os olhos, por conveniência, oportunismo, poder e dinheiro, cada vez que mais um Kaique é morto. Eles também são assassinos.”
Paranoia de Wyllys: Toda vez que um gay se matar por perder um amente, culpe Malafaia, Feliciano e igrejas!
Paranoia de Wyllys: Toda vez que um gay for assassinato em perigosa zona de prostituição e drogas, culpe os cristãos!
Minha pergunta é: até quando o Brasil vai aguentar as loucuras e mentiras desse homem?

29 de jan de 2014

PT vai aprimorar a sua Polícia Política na Internet



PT vai aprimorar a sua Polícia Política na Internet

No dia 30 de abril de 2012, escrevi aqui um post sobre um troço chamado “MAV” — Mobilização de Ambientes Virtuais. Trata-se de um grupo criado pelo PT para vigiar a Internet e patrulhar as redes sociais. Uma personalidade mais ou menos conhecida faz alguma afirmação no Twitter de que os petistas discordam? Eles partem pra cima. O mesmo se dá no Facebook. Palavras de ordem e boçalidades contra a oposição e o jornalismo independente são replicadas em penca em centenas de sites, blogs etc. Trata-se, obviamente, de uma forma de fraudar as redes sociais.
Pois bem. Leiam o que informa Bruno Benevides na Folha (em vermelho). Voto em seguida:
O PT pretende fazer encontros com internautas de movimentos sociais para articular uma atuação na internet. “Existe uma presença conservadora nas redes, de pessoas que defendem a volta da ditadura, o [deputado federal Jair] Bolsonaro”, disse o secretário nacional de Comunicação do partido, o vereador José Américo (SP). Segundo ele, a ideia é organizar uma resposta progressista a essas ideias.
“Vamos fazer algo mais amplo, que reúna movimentos sociais, não só militantes do PT”, disse Américo, após reunião na sede do partido em São Paulo. O encontro discutiu exatamente a estratégia de comunicação do PT.
(…)
Retomo
Ou por outra: o PT vai azeitar a sua Polícia Política informal, criada para patrulhar a rede. Já escrevi bastante a respeito e reitero alguns pontos de vista.
Na Internet, no jornalismo impresso e também na TV, ex-jornalistas tiveram a pena alugada pelo petismo para agredir lideranças da oposição e, ainda com mais energia, a imprensa. Tentam desacreditá-la para dar, então, relevo às verdades do partido. Alguém poderia dizer: “Até aí, Reinaldo, tudo bem! Eles estão fazendo a guerra de opinião”. Não está tudo bem, não! Esse trabalho é financiado com dinheiro público — sejam verbas do governo federal e de governos estaduais ou municipais do partido, sejam verbas de estatais. Vale dizer: é o dinheiro público que financia uma campanha suja que é de interesse de uma legenda.
Essas publicações — blogs, sites e revistas sustentados com dinheiro dos cidadãos — formam uma espécie de central de produção de difamações que a tal “MAV” vai espalhar pela rede. O núcleo mais forte está em São Paulo, mas o próprio partido anuncia que está criando outros país afora. Assim, meus caros, já não se pense mais no PT como o partido que aparelha apenas sindicatos, movimentos sociais, ONGs, autarquias, estatais, fundos de pensão e, obviamente, o estado brasileiro. Não! Os petistas decidiram aparelhar também a Internet.
Este blog
Entenderam por que é quase impossível fazer um debate honesto, entre indivíduos, em áreas de comentários de páginas abertas ao público? Vocês serão sempre espionados, monitorados e, como se diz por aí, “trolados” por um grupo organizado. Que fique claro: não são indivíduos petistas debatendo. Trata-se de uma tropa de assalto à livre expressão. Não raro, são de um agressividade asquerosa. É por isso que expulso deste blog os chamados “petralhas”. Faço-o em benefício da verdade do debate — é uma mentira cretina essa história de que todos os meus leitores pensam a mesma coisa. Ora, eu não quero aqui patrulheiros da opinião alheia. Pior ainda: falando em nome da “verdade oficial”.
Qual é, no que diz respeito à informação, a natureza da Internet? É, ou deveria ser, o território dos indivíduos, que têm, finalmente, a chance de se expressar com seu pensamento, suas sentenças, seus conhecimentos e até seus preconceitos — afinal, no confronto e no convívio com outros, têm a chance de aprender e de mudar de opinião. E, por certo, políticos e partidos podem e devem criar suas páginas. Não há mal nenhum nisso. Desde que fique claro de quem é aquela voz.
O MAV subverte e corrompe a essência da liberdade na rede. A tropa que esse núcleo mobiliza nunca deixa claro que está cumprindo uma tarefa. O debate se dá de maneira desigual: de um lado, um indivíduo com suas opiniões, suas angústias, suas dúvidas; de outro o oficialismo organizado para impedir a livre circulação de ideias, tentando confiná-las nos escaninhos da verdade partidária.
Por Reinaldo Azevedo
Divulgação: www.jorgenilson.com

27 de jan de 2014

A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil


A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil

Julio Severo
De longe, o maior perigo para o Brasil é a dominação marxista, que está quase completa hoje. Essa dominação, que vem sendo implementada pelo PT e outros partidos socialistas há anos, vem acompanhada por constantes pressões esquerdistas para legalizar as perversões homossexuais, o assassinato de bebês mediante o aborto e muitas outras iniquidades. Essa dominação não ocorreu sem a colaboração da teologia. A Teologia da Libertação (TL), promovida durante décadas pelas comunidades de base da Igreja Católica, foi fundamental para a própria fundação do PT e expansão marxismo no Brasil. Sob a TL, católicos marxistas da CNBB se alinharam com marxistas seculares para avançar sua causa comum.
É fácil então identificar as causas e muitos dos maiores problemas da sociedade brasileira e da Igreja Católica.
No entanto, como identificar as mesmas causas e problemas na Igreja Evangélica do Brasil? Como descobrir o maior perigo para a Igreja Evangélica do Brasil? Se pesquisarmos pelo Google, obteremos resultados interessantes. Na minha pesquisa, tomando como exemplo o papel colossal da TL na Igreja Católica, parti do princípio de que a teologia é o que mais pode afetar de forma positiva ou negativa a Igreja. Por isso, utilizei duas teologias que estão em evidência e contraste na Igreja Evangélica do Brasil: a Teologia da Prosperidade e a Teologia da Missão Integral.
Em evidência, porque são importantes nas falas e condutas das igrejas evangélicas.
Em contraste, porque uma é demonizada e a outra bajulada.
Apesar de suas diferenças e contrastes, qual das duas teologia cumpre na Igreja Evangélica a missão que a Teologia da Libertação sempre cumpriu na Igreja Católica: a missão de conduzir as pessoas aos pés da ideologia de Karl Marx?

Teologia da Prosperidade no Google

Uma simples pesquisa global pelo Google sobre “Teologia da Prosperidade” produz 2.650.000 resultados, conforme registrado em 15 de janeiro de 2014 (http://archive.is/yI74V). Já na primeira página desses resultados, a maioria absoluta dos sites que aparecem tratando do tema são calvinistas e o tratamento dessa teologia é negativo.
O primeiro site que aparece nos resultados pertence à revista Ultimato, provavelmente a mais antiga publicação defensora da Teologia da Missão Integral (TMI), que é a versão protestante da TL. Um dos livros publicados pela Ultimato em defesa dessa teologia marxista evangélica é “O Novo Rosto da Missão,” escrito pelo Rev. Luiz Longuini, um pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) casado quatro vezes. Marcos Botelho, também presbiteriano, ficou conhecido num artigo dessa revista em que defendeu que os cristãos têm a obrigação de lutar por um suposto “direito” de todos de praticar abominações.
Os outros sites que aparecem em destaque no Google contra a Teologia da Prosperidade são igualmente calvinistas, inclusive: Voltemos ao Evangelho, Internautas Cristãos, O Tempora, O Mores! e Púlpito Cristão. Desses, possivelmente só o Púlpito Cristão é mais destacadamente esquerdista, conforme apontou o artigo “A esquerda apologética e o neopentecostalismo.”
Na primeira página de “Teologia da Prosperidade” na busca global do Google, o perfil dessa teologia e do próprio neopentecostalismo é, conforme seus proeminentes críticos calvinistas, herético, anticristão, etc.
Considerando que nenhuma igreja posta na internet artigos declarando “Defendemos a Teologia da Prosperidade,” a conclusão lógica é que todas as outras menções, ou mais de 99 por cento, no Google são igualmente negativas.
Entre os resultados que não estão na primeira página encontrei sites espíritas, católicos e até esquerdistas seculares atacando a Teologia da Prosperidade (TP). Nenhum deles, porém, menciona negativamente a TMI.
Os quase 3 milhões de resultados do Google contra a TP indicam que essa teologia está sendo combatida em massa — uma guerra santa e implacável capitaneada por calvinistas, onde a revista Ultimato ocupa uma confortável liderança. Essa teologia está sendo tratada, com o apoio de espíritas, católicos e até esquerdistas seculares, como a maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil, criando uma cortina de fumaça surpreendente para a TMI e seus promotores.

Teologia da Missão Integral no Google

Na segunda busca global, coloquei no Google o termo “Teologia da Missão Integral,” que deu 145.000 resultados, conforme registrado em 15 de janeiro de 2014 (http://archive.is/bMzPF). Analisando a primeira página, os resultados são nitidamente favoráveis a essa teologia, com exceção de alguns artigos meus que já aparecem com destaque no Google. Os milhares de resultados favoráveis apresentam essa teologia como se fosse a doutrina mais bonita, inocente e benéfica que já existiu nas igrejas evangélicas do Brasil.
Tirando meus artigos, os resultados indicam que a TMI é vista de forma predominantemente positiva. Anos atrás, quando fiz minhas primeiras pesquisas pelo Google da TMI, só encontrei elogios. Daí, vi a necessidade de intervir, com minha experiência de blogueiro, para que alguns internautas tivessem acesso a informações mais certeiras dessa teologia. Meus artigos sobre esse tema estão hoje, pela graça de Deus, na liderança nas pesquisas do Google e se tornaram referência.
Por que os sites e blogs calvinistas que estão na liderança da defesa da TMI (ou andam confortavelmente na companhia de seus promotores) estão igualmente na liderança de uma “guerra santa” contra a TP? Aliás, o que é TP? Se tentarmos definir essa teologia pelo modo como os calvinistas citados na pesquisa do Google a criticam, dá para entender basicamente como “um pastor vivendo no luxo e ganhando muito dinheiro.” Mas não é qualquer pastor. Os alvos são sempre pastores pentecostais e neopentecostais.
Conheço pastores que vivem no luxo e ganham muito dinheiro, mas não são pentecostais. Eles são protestantes tradicionais e são famosos por um discurso estridente e raivoso contra a TP e contra os neopentecostais, que incluem Igreja Batista da Lagoinha, Igreja Renascer, Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, Igreja Bola de Neve, Igreja Internacional da Graça de Deus, etc. Condenam de boca o que vivem na vida. Suas pregações atacam uma TP que é muito bem marcada em seus elevados salários, casas, carros, viagens, etc.
Os que estão na vanguarda (inclusive a revista UltimatoVoltemos ao Evangelho, Internautas Cristãos, O Tempora, O Mores! e Púlpito Cristão) dos ataques à TP são muitas vezes os que estão na vanguarda da defesa da TMI, ou andam confortavelmente na companhia de seus promotores. Suas críticas (quando o fazem) à heresia progressista são tímidas, vagas e débeis. Mas as críticas à “heresia” dos neopentecostais são robustas, musculosas, brutais e implacáveis.
Nenhum deles está na linha de frente da guerra contra a TMI, que de longe é a mais elevada expressão do liberalismo teológico brasileiro.
A “timidez” da blogosfera calvinista para criticar com toda a força de sua musculatura teológica a Teologia da Missão Integral tem explicação: essa teologia progressista nasceu basicamente dos meios teológicos calvinistas, conforme mostra meu livro “Teologia da Libertação versus Teologia da Prosperidade.” Na Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), os principais responsáveis foram o Rev. Richard Shaull, que foi professor durante quase 10 anos num grande seminário da IPB na década de 1950, e Rubem Alves, que como pastor da IPB muito atuou em prol dessa teologia na década de 1960. Hoje ele é apóstata.


Sem mencionar o fundamental papel posterior de Caio Fábio, outrora o maior pastor da IPB, que mesmo sem dizer o nome, promovia, nos bastidores ou não, a TMI e sua essência marxista. Caio trabalhou durante anos para aproximar os evangélicos do PT. E hoje seu filho espiritual, Ariovaldo Ramos, prossegue sua missão.

Caio Fábio: o gigante da TMI

Durante seu apogeu de fama e glória, Caio só dava atenção ao próprio umbigo.
Uma mulher simples chegou ao imponente escritório dele na VINDE mais de vinte anos atrás, para dizer que Deus havia mostrado a ela que ele era um gigante com mãos e pés sujos, mas nem deixaram a pobre mulher se aproximar do homem importante cercado de secretárias e secretários. E se se aproximasse, ele ouviria?
Um de seus funcionários jovens, que hoje é pastor de uma igreja neopentecostal, me disse que na época teve uma visão onde Deus o mostrava entregando um recado profético para Caio. Na visão, Caio estava totalmente indiferente e fechado.
A visão veio quando Caio, nos bastidores, estava diplomaticamente aproximando os líderes evangélicos de Lula e do PT. Milhares de líderes evangélicos foram levados aos maus caminhos do gigante de mãos e pés sujos, isto é, um homem arrogante que estava caminhando em caminhos sujos e fazendo coisas sujas.
Não há dúvida de que andar na esquerda é andar em caminhos sujos, e trabalhar para a esquerda é sujar as mãos.
E é evidente que não era só o gigante que estava cego e indiferente. O que dizer da liderança que o cercava? O que dizer de sua denominação na época, a Igreja Presbiteriana do Brasil, que nunca o havia confrontado, punido e afastado de funções pastorais enquanto o gigante maquinava o namoro dos líderes evangélicos com o PT?
Deus não precisaria tocar uma humilde mulher e um jovem funcionário da VINDE com visões se os grandes reverendos que cercavam o gigante tivessem os olhos realmente abertos para o que é certo diante de Deus, e tivessem boca para repreender o gigante. Eles falharam. Mas o princípio bíblico de que “Vosso pecado vos achará” não falhou. O gigante foi derrubado por seus próprios pecados.
Foi preciso sua queda em pecados sexuais e financeiros para que anos de maquinações esquerdistas tivessem um fim. Mas o estrago já tinha sido feito. Em grande parte, o gigante conseguiu o que queria: a maioria da liderança evangélica hoje segue estupidamente a esquerda nas eleições, com o incentivo dos vários filhotes espirituais de Caio.
Caio foi para a igreja brasileira um “médico” que, em vez de trazer cura, aprofundou-a mais no câncer da TMI. Ele colocou a Igreja Evangélica do Brasil em estado de adultério — um adultério incomparavelmente pior do que o adultério pessoal que o derrubou em escândalos.
O gigante nunca se arrependeu da TMI e de ter prostituído a Igreja Evangélica. Pelo contrário, continua se fazendo de médico, apontando que a igreja brasileira está “doente,” mas convenientemente se distanciando de sua responsabilidade em tudo isso.
O preço da TMI tem sido caro para a Igreja Evangélica do Brasil e para os gigantes da TMI, vários dos quais têm caído e se apostatado de forma horrível.

Guerra santa: só contra a TP, não contra a TMI

Mesmo com um nascimento basicamente calvinista e ainda tendo calvinistas como seus principais defensores, não existe nenhuma vanguarda calvinista contra a TMI. A luta contra essa teologia está vindo de outras fontes. Embora a TMI esteja contaminando a Igreja Evangélica do Brasil há décadas, é com tristeza que digo que somente com a publicação de textos e livros no meu blog que começou a aparecer uma vanguarda, documentada pela pesquisa global do Google, contra essa teologia.
Eu não poderia evitar essa responsabilidade. O Brasil inteiro está sendo mergulhado numa revolução e lavagem cerebral marxista, que atinge desde escolas até governo. Por que deveríamos achar que as igrejas evangélicas ficariam ilesas?
Ariovaldo Ramos, considerado um dos “apóstolos” dessa teologia, declarou: “A Teologia da Missão Integral é uma variante protestante da Teologia da Libertação.”
Ariovaldo é sempre muito bem-recebido nos círculos calvinistas, até mesmo na Universidade Presbiteriana Mackenzie.
Ariovaldo é um “reformado” (título usado por calvinistas) que já foi convidado especial do ditador marxista Hugo Chavez, cuja morte provocou lamentos no pastor reformado. Ele tem também se destacado em grandes parcerias entre evangélicos e o PT.
Entenda: os gigantes da TMI sempre caminham, de uma forma ou de outra, com políticos e militantes esquerdistas, conforme confirmou em entrevista exclusiva ao Blog Julio Severo Maya Felix, que durante anos fez parte do MEP (Movimento Evangélico Progressista), o maior movimento protestante da TMI para politizar, de modo esquerdista, a Igreja Evangélica do Brasil.
Mesmo depois de sua queda, Caio Fábio continuou estrela do MEP, conforme documentação gravada acessível no Blog Julio Severo, que registra Caio como palestrante principal de um seminário sobre “ética” no Congresso Nacional. O seminário, realizado pelo MEP, contou com o apoio direto do PT.
Meu questionamento agora é: se a TMI, com toda a sua carga marxista sutil ou não, é a maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil, por que os calvinistas não estão na vanguarda do combate a ela? Por que uma pesquisa do Google, em vez de trazer uns 10 milhões de resultados negativos, só mostra milhares resultados favoráveis à TMI?
De longe, quem mais promove a TMI são os calvinistas. De longe, quem mais ataca implacavelmente a TP são os calvinistas. O que isso diz? Na avaliação dos calvinistas, uma teologia é inocente e a outra é culpada. Uma é anjo e a outra é diabo. E a diferença básica é: uma nasceu no meio deles, e a outra nasceu num meio odiado por eles: os neopentecostais.
Quando você computa quase 3 milhões de resultados negativos contra quase 150 mil resultados positivos, qual é a conclusão óbvia? A TP e por extensão o neopentecostalismo é a grande ameaça à Igreja Evangélica do Brasil. Palavra dos calvinistas que estão trabalhando dia e noite para implantar a TMI como padrão do Evangelho no Brasil. Palavra dos calvinistas omissos que se dizem contra o liberalismo teológico, mas comportam-se no mínimo como doentes terminais diante dessa teologia. No máximo, são críticos tímidos e covardes, falando genericamente ao vento, apavorados de mencionar nomes e exemplos específicos e concretos.
Há uma guerra santa de proporções cósmicas contra a TP, mas não há nenhuma guerra santa contra a TMI.
Os que estão na vanguarda (inclusive a revista UltimatoVoltemos ao Evangelho, Internautas Cristãos, O Tempora, O Mores! e Púlpito Cristão) da crítica aos neopentecostais atacam a TP, mas não atacam a essência dessa teologia que é vivida nos elevados salários, casas, carros, viagens, etc., que fazem parte do estilo de vida dos donos e parceiros dessa vanguarda. A vida opulenta de muitos deles é digna da Teologia da Prosperidade que eles tanto atacam.
O que se destaca também é a completa desigualdade no “debate”:  da parte dos calvinistas há mais beligerância e hostilidade sistemática do que debate diante do neopentecostalismo, enquanto que da parte dos neopentecostais há quase que silêncio diante das teologices dos calvinistas antipentecostais. Uma das motivações mais importantes desse grupo de calvinistas hostis, quer sejam esquerdistas ou não, é a doutrina herética docessacionismo. Os constantes e sistemáticos ataques dessa ala calvinistas podem ser uma conveniente fachada para ocultar sua heresia cessacionista.
Forças calvinistas usam suas energias para atacar em massa a TP e as igrejas neopentecostais. Em contraste, as igrejas neopentecostais usam suas energias não para confrontos teológicos com calvinistas raivosos e invejosos, mas para proclamar o Evangelho.
Dos calvinistas, veio a moda de abraçar e bajular a TMI. Dos calvinistas, veio a moda de demonizar a TP — mas só a teoria, não a prática. E agora vão querer dizer que os calvinistas não têm força para lançar a moda de uma necessária e justa demonização da TMI? Vão argumentar que eles não conseguem ser vanguarda contra o grave liberalismo teológico que essa teologia representa?
Querem livrar a Igreja Brasileira do cisco da TP enquanto a viga da TMI está enfiada em seus próprios olhos teológicos. Jesus Cristo tem uma palavra para os que transformam o cisco nos olhos dos outros em motivo de guerra santa:
“Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida que usardes para medir a outros, igualmente medirão a vós. Por que reparas tu o cisco no olho de teu irmão, mas não percebes a viga que está no teu próprio olho? E como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho de teu irmão.” (Mateus 7:1-5 KJA)
Sabemos que a ideologia que mais ameaça o Brasil hoje é a ideologia marxista. Qual é a teologia que mais colabora com essa ideologia? A TMI. Qual é a teologia que tanto os adeptos da TMI quanto os adeptos do marxismo odeiam? A TP. Até mesmo esquerdistas seculares, que nada entendem de Evangelho, criticam a TP. Até mesmo a TV Globo ataca os televangelistas neopentecostais.
De acordo com Edson Camargo, dono do Blog Profeta Urbano, o liberalismo teológico está especialmente ligado não à TP, mas à TMI. Ao Blog Julio Severo, ele disse: “A Teologia da Prosperidade é mais um erro de ênfase, e não compromete tanto outras doutrinas. Basta consultar alguns poucos versículos para se entender que a ênfase dela é errada. Já a TMI distorce todo o Evangelho e toda a interpretação das Escrituras, fazendo com que os evangélicos endossem as aberrantes agendas da esquerda como o gayzismo, o politicamente correto e as reivindicações de grupos como o MST. Não é à toa que liberais teológicos, que relativizam a doutrina do pecado e duvidam da historicidade da ressurreição de Cristo, entre outras baboseiras, sempre estão alinhados com a TMI.”

“Não venham me acusar de defensor da TP”

Não venham me acusar de defensor da TP. Se eu fosse defensor da TP, na teoria dos neopentecostais ou na prática de vida luxuosa de muitos teólogos calvinistas, eu não enfrentaria problemas por falta de status econômico, teria uma mansão com piscina e muitas outras regalias. Pelo contrário, alguns dos calvinistas que se levantaram contra mim por minhas denúncias vivem em mansões, têm suas piscinas e vidas opulentas, mas nunca admitem que suas vidas espelham a TP.
Os casos em que vemos neopentecostais se aliançando com marxistas demonstram o poder da contaminação. Historicamente, pentecostais e neopentecostais sempre “demonizaram” o marxismo. Mas os adeptos da TMI, especialmente Caio Fábio, trabalharam para quebrar todas as resistências protestantes tradicionais, pentecostais e neopentecostais ao marxismo. Caio não teve muitos problemas com os protestantes tradicionais, onde a TMI tem raízes profundas e antigas. Para lidar com os neopentecostais, em 1994, durante a eleição presidencial, ele convidou Valnice Milhomens para ajudá-lo a apresentar, através de seu programa televisivo “Pare & Pense,” o candidato Lula para os evangélicos.
Caio, como inimigo da TP (mas nunca de uma vida pessoal luxuosa à custa de ovelhas desorientadas e cegas), sempre promoveu a TMI. Só anos mais tarde eleconfessou: “Aproximei os evangélicos de Lula.” Valnice caiu no conto do vigário caiofabiano e foi instrumento para que milhões de evangélicos brasileiros caíssem no conto do vigário do marxismo.
Foi o maior trabalho de “desdemonização” do esquerdismo na história da Igreja Evangélica do Brasil. Depois desse trabalho em massa em favor do marxismo, é compreensível que a TMI seja hoje bajulada de todos os lados. Aliás, no universo de favoritismo esmagador à TMI nos resultados do Google, meu blog de oposição e alerta é, na visão dos defensores da TMI, uma ovelha negra.
Francamente, diante do enorme Golias da TMI e seus filisteus, me sinto como um Davi, pequeno e fraco, ou como Paulo, em necessidade de apoio de oração para avançar na missão de denunciar uma TMI que, cercada de defensores gigantes, está num pedestal de sacralidade absoluta em muitas igrejas.
Depois de décadas de crescimento e expansão dessa teologia a partir de bases calvinistas, por que precisou um Julio Severo, que não figura entre os grandes televangelistas nem entre os doutores em teologia, para começar a questionar e confrontar a TMI e seus defensores? Por que a população evangélica não faz uma pausa para pensar que os que estão na vanguarda da guerra santa contra a TP defendem a TMI ou andam muito bem com seus promotores?
A TMI nasceu em berço basicamente calvinista. Isso é fato. A TP nasceu dos neopentecostais. Isso explica o ódio calvinista à TP e sua defesa destacada à TMI, uma heresia que está crescendo nas igrejas e está agora alcançando até igrejas neopentecostais. A vítima mais recente é a Igreja Batista da Lagoinha.
Se TP é um pastor viver no luxo e ganhar muito dinheiro, então acorde: há pastores protestantes tradicionais (inclusive muitos calvinistas maçons), pentecostais e neopentecostais vivendo assim. Se TP, ou a pregação neopentecostal, tem como alvo colocar Deus no centro da provisão de todas as necessidades humanas, então é a resposta perfeita contra a TMI, que no final acaba colocando a ideologia marxista, a política e o governo como centro de provisão de todas as necessidades humanas. Tudo o que é necessário é corrigir a ênfase exagerada.
Se de fato TP é “um pastor viver no luxo e ganhar muito dinheiro,” então televangelistas neopentecostais e seus abastados críticos calvinistas precisam de libertação. Embora suas teologias sejam diferentes, seus estilos de vida apegados ao amor ao dinheiro são idênticos.

Como combater a maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil?

Leia meu livro “Teologia da Libertação versus Teologia da Prosperidade.” Imprima-o. Faça muitas cópias. Distribua-o intensamente nas igrejas e conferências evangélicas.
Imprima-o e dê a todos os seus amigos. Distribua-o de todas as formas possíveis, inclusive pela internet.
Se você tem site ou blog, divulgue este artigo juntamente com os links abaixo, que contêm vários artigos indispensáveis para entender o avanço do marxismo nas igrejas do Brasil.
Junta-se a mim no combate ao marxismo disfarçado de “evangelho” nas igrejas evangélicas.
Meu livro gratuito é meu sacrifício pessoal e financeiro por amor à Igreja Evangélica do Brasil.
Divulgação: www.jorgenilson.com