Seguidores

17 de jan de 2011

Evangélicos pedem medidas contra ataques à Cristãos Iranianos

Evangélicos pedem medidas contra ataques à Cristãos Iranianos

Uma comissão evangélica pediu o cessar imediato aos ataques às casas e as detenções de Cristãos no Irã. “O atual ataque às casas e as detenções de Cristãos em sua maioria xiita do Irã, que começou lamentavelmente durante a temporada de Natal, necessita ser detido imediatamente,” disse na quarta-feira a Comissão de Liberdade Religiosa da Aliança Evangélica Mundial em um comunicado.

Desde o Natal, uns 70 Cristãos tem sido presos e vários informes jornalísticos indicam que as autoridades iranianas estão enfocadas nos convertidos do Islã ou os que tentam converter os Muçulmanos.

Segundo o funcionário da Agência Oficial de Notícias da República Islâmica, o governador de Teerã, Morteza Tamadon, afirmou que os missionários cristãos tem intensificado suas atividades no Irã e, “como os talibãs,” “foram inseridos no Islã como um parasita.”

Ele disse que mais prisões serão feitas. O diretor executivo da WEA-RLC Godfrey Yogarajah chamou a recente ofensiva “condenável” e “incongruente” dado que a perseguição xiita se enfrenta nos países de maioria sunita como o Paquistão.

Ele assinalou: “O crescente autoritarismo no Irã somente mostra que a popularidade do regime está caindo drasticamente, o que está pondo o governo altamente inseguro e nervoso.”

Durante as últimas semanas, os agentes de segurança iraniana tem estado atacando as casas dos Cristãos, em busca de Bíblias, livros religiosos e imagens, confiscando computadores e documentos pessoais, e realizando detenções.

A ofensiva foi meses depois que o ministro iraniano de Inteligência disse que seus agentes haviam descoberto centenas de grupos de Igrejas subterrâneas, incluindo 200 na sagrada cidade muçulmana de Mashlad, de segundo o informado pela NPR.

Junto com as detenções, a comissão da WEA também se refiriu à detenção dos pastores cristãos, Behrouz Sadegh-Khanjani, que enfrenta a uma possível acusação de apostasia, e Nadarkhani Youcef, que foi acusado de apostasia e condenado à morte.

Entre 67 milhões de pessoas, os 98 por cento são Muçulmanos e em sua maioria xiitas. O governo iraniano tem um histórico pobre de liberdade religiosa, periodicamente tomando medidas energéticas contra suas minorias religiosas, incluindo os Cristãos, os Muçulmanos sufis e baha’is.

O último informe do Departamento de Estado dos EUA revelou que o respeito da liberdade religiosa no Irã continuou deteriorando-se e que a retórica e ações do governo “tem criado um ambiente ameaçante para quase todos os grupos religiosos não xiitas.”

Vão surgindo relatórios de privação de liberdade por parte do governo, intimidação, assédio e discriminação baseados em crenças religiosas, assinalou também o relatório. A agência de vigilância à perseguição, Portas Abertas, recentemente recrutou o Irã como o segundo pior perseguidor de cristãos no mundo.

Igreja serviços são monitorados pela polícia secreta e os crentes têm sido interrogados e espancados, de acordo com a Portas Abertas. Apesar da perseguição e do regime islâmico de linha dura, o órgão de fiscalização informou que o número de cristãos continua a crescer e hoje são pelo menos 450.000.

Christian Post

Nenhum comentário: