Seguidores

17 de fev de 2013

Catolicismo: A Missa


Catolicismo: A Missa

A Missa
Se é para acreditar no Catecismo, então cada vez que a missa é rezada, a obra de Cristo na cruz se faz presente e a obra de nossa redenção é realizada:
"Neste divino sacrifício que se realiza na missa, este mesmo Cristo, que se ofereceu a si mesmo uma vez de maneira cruenta no altar da cruz, está contido e é imolado de maneira incruenta." P. 377, #1367  Catecismo da Igreja Católica (1994)
"Quando a Igreja celebra a Eucaristia, faz a memória da páscoa de Cristo, e esta se torna presente; o sacrifício que Cristo ofereceu uma vez por todas na cruz torna-se sempre atual. Todas as vezes que se celebra no altar o sacrifício da cruz, pelo qual, Cristo nossa páscoa foi imolado, opera-se a obra da nossa redenção." P. 376, #1364 Catecismo da Igreja Católica (1994)
Mas a Bíblia revela que a obra da redenção foi um ato único, o qual foi completado quando Cristo morreu na cruz:
"...Ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar pelo sacrifício de si mesmo o pecado." Hebreus 9:26
"Nesta vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas." Hebreus 10:10
Quando Jesus derramou seu sangue, aquele ato único adquiriu a redenção eterna para todos os que colocassem sua fé e confiassem somente em Cristo:
"Não por meio de sangue de bodes e bezerros, mas pelo seu próprio sangue, (Jesus) entrou no Santo dos Santos,uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção." Hebreus 9:12
A Bíblia declara especificamente que este sacrifício não precisa ser renovado diariamente:
"Que não tem necessidade, como os sumos sacerdotes, de oferecer todos os dias sacrifícios, primeiro por seus próprios pecados, depois pelos do povo; porque fez isto uma vez por todas, quando a si mesmo se ofereceu." Hebreus 7:27
Mesmo assim o Catecismo é imperativo em que:
"Com efeito, toda vez que é celebrado este mistério, 'opera-se a obra da nossa redenção'." P. 389, #1405  Catecismo da Igreja Católica (1994)
Mas a Palavra de Deus é igualmente imperativa em que a morte de Cristo foi um evento único:
"...Se manifestou uma vez por todas, para aniquilar pelo sacrifício de si mesmo o pecado." Hebreus 9:26
"Assim também Jesus Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos..." Hebreus 9:28
"Jesus, porém, tendo oferecido para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus." Hebreus 10:12
Jesus fez toda a obra necessária para conseguir nossa salvação, quando morreu na cruz. Nenhuma outra obra jamais foi necessária.
Quem ganha o crédito?
O Catecismo afirmar que a Igreja Católica toma parte na obra redentora de Cristo é roubar do Senhor Jesus o crédito. Só ele tem merecimento pela obra que completou no Calvário.
De acordo com a Palavra de Deus, Cristo já fez tudo, de uma vez por todas. Sua morte foi um ato divino, o sacrifício mais maravilhoso que já foi feito. Aconteceu uma vez para jamais ser repetido novamente. Mesmo assim, o Catecismo insiste:
"O sacrifício de Cristo e o sacrifício da Eucaristia são um único sacrifício." P. 376, #1367  Catecismo da Igreja Católica (1994)
Tão amavelmente quanto possível, devemos dizer que esta declaração é purosacrilégio. Sugerir que um padre, realizando um ritual religioso, toma parte na torturante morte que Jesus sofreu é nada menos que blasfêmia.
Associar os rituais da Igreja Católica à obra de Cristo na cruz é ridículo. A Igreja Católica não tomou parte alguma na obra que torna possível a redenção da humanidade, e não merece crédito algum.
Mais uma vez o Catolicismo tenta forçar Cristo a dividir sua glória com a Igreja Católica, enquanto a Bíblia mostra que só Jesus merece a glória.
Conclusão
Onde você vai colocar sua confiança? Na Palavra de Deus... ou nas tradições e ensinos da Igreja Católica?
"Pois também Cristo morreu uma única vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito." 1 Pedro 3:18

Autor:
Rick Jones
Livro:
Por Amor aos Católicos Romanos

Fonte:
chick.com/reading/books/0221/0221_22.asp

Divulgação: www.jorgenilson.com

Nenhum comentário: