Seguidores

8 de set de 2012

Com o PSDB, ficou fácil denunciar a “homofobia” no Estado de São Paulo


Com o PSDB, ficou fácil denunciar a “homofobia” no Estado de São Paulo

Julio Severo

O PSDB do Estado de São Paulo está dando um show de bola no PT no que se refere aos chamados “crimes” de homofobia. Disponibilizando a opção de fazer boletins de ocorrência (BO) de “ofensas homofóbicas” pela internet, a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) já recebeu 408 boletins de ocorrência neste ano, contra 176 no ano passado inteiro.
Agindo na surdina, para não despertar resistências da população, especialmente de católicos e evangélicos, há cinco meses a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) passou a oferecer a opção de denúncia de crimes de injúria, calúnia, difamação e ameaça pelo boletim eletrônico na internet.
Na motivação, além de homofobia e raça, o governo deixa ao denunciante a liberdade até de escolher ciúme e inveja.

Polícia de São Paulo: atenta às denúncias de “homofobia”

Na questão da raça inclui-se qualquer palavra que adeptos das religiões afro-brasileiras interpretem como “ofensa”, tais como citar passagens bíblicas contrárias à comunicação com mortos e despachos.
Não é raro homossexualismo e ocultismo se juntarem para cometer crimes, conforme a própria Globo já noticiou, sobre dois pais-de-santo homossexuais que estupraram uma criança. O que é surpreendente é o Estado selecionar essas duas categorias para proteção especial.
No caso específico de São Paulo, onde o PSDB está avançando políticas pró-homossexualismo sem causar alarde, o mesmo governo que está elevando opiniões sobre o homossexualismo ao nível de crime de ofensa está, aparentemente, abaixando reais crimes homossexuais ao nível de quase indiferença.
Um menino adotado foi estuprado por uma dupla homossexual, e o Estado de São Paulo fez o possível e impossível para dar proteção aos criminosos. Em outro caso vergonhoso, onde um homem homossexual entrou no banheiro das mulheres e assustou uma menina de 10 anos, o governo de São Paulo novamente colocou o homossexual acima da criança.

No Estado de São Paulo, os ativistas gays estão com tudo:
* Homossexuais dançaram de calcinha na Assembleia Legislativa de São Paulo em 2007, sem nenhum impedimento.
* Um pastor foi preso no centro de São Paulo, após pregar contra as práticas homossexuais.
* O Estado de São Paulo lidera o ranking de incitação de denúncias por “homofobia”.
* Um bêbado foi multado em quase 15 mil reais por chamar um homossexual de “veado”.
* Uma  igreja evangélica teve seus outodoors com versículos bíblicos violentamente removidos pela “justiça” de São Paulo.

No Estado de São Paulo, “nóis tamo com tudo!”

Com a novidade de boletins de ocorrência pela internet no Estado de São Paulo, os ativistas gays estão fazendo farra com os presentes dados pelo PSDB. Desde 31 de março, o Decradi já recebeu 298 BOs eletrônicos pela internet — 157 deles referentes à capital.
De acordo com dados da Decradi, 53% dos casos registrados na delegacia em 2011 foram de “injúria”.
“Muitas pessoas que já foram vítimas de homofobia — até dos próprios policiais — agora podem prestar queixa pela internet”, afirma Fernando Quaeresma,  presidente da Associação da Parada Gay de São Paulo.
Toda vez que virem alguém ou algum blog pregando contra o homossexualismo, os ativistas gays de São Paulo já sabem o que fazer: BO.

Com informações do Estadão e do site gay A Capa.

Fonte: www.juliosevero.com

Divulgação: www.jorgenilson.com

Nenhum comentário: