Seguidores

28 de jul de 2008

A verdadeira face do pensamento evolucionistas

A verdadeira face do pensamento evolucionista

Autor: Robson T. Fernandes

O pensamento evolucionista caracteriza-se como anticristão, ateísta e preponderantemente materialista. Tal pensamento expressa veementemente a natureza humana caída com seu desejo inerente de fugir de Deus (Rm 1). Para o defensor do pensamento evolucionista, todos os absolutos morais serão relativizados, produzindo um fruto catastrófico para a vida de seu defensor e da sociedade em geral, como já pudemos observar no decorrer da história, culminando em filosofias que foram responsáveis pela morte de milhões de pessoas.

No livro A Origem das Espécies, Darwin afirma que a raça branca européia estava em progressiva evolução, enquanto as outras raças ainda estavam no mesmo nível dos macacos. Este tipo de pensamento proveu uma suposta justificação científica para os pensadores racistas, a exemplo de Adolf Hitler.

A herança racista do Darwinismo ofereceu as bases para ideologias como o nazismo no século XX. Podemos encontrar tais evidências no livro Mein Kampf (Minha Luta), de Hitler, no qual alguns conceitos nazistas sendo respaldados pelo ensino darwinista acerca da luta pela existência. O nazismo foi responsável pela morte de cerca de 25 milhões de pessoas, dentre as quais 6 milhões de judeus. Uma das primeiras pessoas a entender a “contribuição” de Darwin para a sociedade foi Karl Marx, fundador do comunismo, ao dedicar o livro Das Kapital a Darwin, enviando-lhe o em exemplar e escrevendo: "De um admirador dedicado para Charles Darwin". O comunismo, alicerçado na admiração dos conceitos darwinistas, tem sido responsável pela morte de milhões de pessoas. Na antiga URSS, assassinou cerca de 20 milhões de pessoas; na China, assassinou cerca de 65 milhões de pessoas; no Vietnã, assassinou cerca de 1 milhão de pessoas; na Coréia do Norte, assassinou cerca de 2 milhões de pessoas; no Cambodja, assassinou cerca de 2 milhões de pessoas; no Leste-Europeu, assassinou cerca de 1 milhão de pessoas; na América Latina, assassinou cerca de 250 mil pessoas; na África, assassinou cerca de 1,7 milhão de pessoas e no Afeganistão, assassinou cerca de 1,5 milhão de pessoas. Friedrich Engels, o maior associado de Marx, nos apresenta a incontestável união entre o darwinismo e o marxismo, sendo o primeiro (darwinismo) o alicerce do segundo (marxismo), e consequentemente do materialismo, ao afirmar: "Da mesma maneira que Darwin descobriu a lei da evolução na natureza orgânica, assim o fez Marx descobrindo a lei de evolução na história humana".

No pensamento evolucionista, qualquer associação com o sobrenatural será categoricamente descartado e classificado como anticientífico, eliminando, assim, a existência do Deus Criador de todas as coisas. Com o darwinismo, surge o humanismo que dá uma ênfase exagerada ao ser humano, dando-lhe atributos e qualidades que o mesmo não possui, colocando-o em uma posição que não deveria estar, a de ser o centro do universo. O humanismo afirma que o homem está em constante evolução, tornando-se progressivamente melhor. Tais pensamentos podem ser, sem nenhum esforço, comprovadamente desmascarados como uma grande mentira. Basta, apenas, que se observe a história humana para se constatar o aumento considerável do número de doenças, pragas, fome, violência, guerras etc.

Pode-se, também, observar o aumento considerável da perda de valores morais e ética, ou o número de problemas sociais. Basta observar a qualidade de vida, em termos de saúde, que o ser humano possuía no passado e na atualidade. Facilmente iremos observar que o mundo não está evoluindo, que o ser humano não está evoluindo. A tecnologia está melhorando, mas a vida humana não, e muito menos o ser humano. Me parece que a revolução informática está fazendo o homem cada vez mais cego às evidências ao seu redor. Com o darwinismo surge o humanismo, a na seqüência surge o racionalismo. O racionalismo traz para o humanismo a completa descrença na existência de Deus. Daí surge a expressão: “se Deus não pode ser visto não deve ser crido”. Com isso, o Deus bíblico, criador do homem, do universo e de tudo o que existe, passa a ser posto em uma prateleira e relegado ao esquecimento por aqueles que abraçam tal pensamento.Nietzsche disse: “Deus está morto!”


O apóstolo Pedro disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16:16) O próprio Deus diz: “Disse o néscio no seu coração: Não há Deus” (Sl 14:1a) Até a suposta “ciência darwinista” afirma que é necessário “ver para crer”. Dessa maneira, vejamos os frutos do pensamento evolucionista e suas conseqüências para a sociedade, e creiamos que essa teoria não seve para nada, apenas para ser jogada fora.
"A evolução é um conto de fadas para adultos. A teoria não ajudou nada no progresso da ciência. Ela é inútil."Dr. Louis Bounoure, Diretor Pesquisas do Centro Nacional de Pesquisas Científicas na França


“Assim diz o Senhor, Rei de Israel, e seu Redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus”Is 44:6

Nenhum comentário: