Seguidores

16 de abr de 2012

ORDENAÇÃO DE PASTORA. O QUE A BÍBLIA DIZ? PARTE V

Parte V



A POSIÇÃO DA MULHER NA IGREJA 

“ A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, na caridade e na santificação.” (1Tm 2:11 a 15)
 

Temos observado nestes dias que estamos vivendo, mudanças aceleradas, em todas as áreas das atividades humanas. E, no que diz respeito a posição da mulher na sociedade atual e, principalmente, na igreja do Senhor Jesus Cristo, todos sabemos que ela tem alcançado posição, que há cinqüenta anos atrás, nem sequer se imaginava. Mas como cristãos, que somos, devemos nos perguntar, até que ponto isto é bom? Qual é a perfeita vontade de Deus para a mulher na família, na sociedade e na igreja? Será que Deus tem mesmo se agradado deste movimento conhecido, mundialmente, como feminismo? Ou será que à luz das Escrituras Sagradas, este movimento, que hoje, está seduzindo muitas mulheres, até dentro de igrejas, que professam a fé cristã, não é a mesma mentira do Éden, apenas com uma nova roupagem? Examinemos as Escrituras:
 

No jardim do Éden foi dito à mulher que ela poderia ser como Deus: “Então, a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.” (Gn 3:4,5). E não é o feminismo a mesma oferta da serpente, agora querendo igualá-la ao homem, que é a imagem e glória de Deus?: “ O varão, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do varão.” (1Cor:11:7). A Bíblia nos deixa claro, que foi o próprio Deus que elegeu o homem para liderar a família e, também para governar o seu povo, e quando isto não acontece, podemos ter certeza que já estamos em juízo, e não que ele (o Senhor), se agrada que mulheres estejam na liderança do seu povo: “ Os opressores do meu povo são crianças, e mulheres estão à testa do seu governo. Ah! Povo meu! Os que te guiam te enganam e destroem o caminho das tuas veredas.” (Is 3:11). Portanto, o assunto que iremos tratar a seguir, fala, mais especificamente, da posição da mulher na igreja do Senhor Jesus; não é questão de “machismo”, como muitos podem dizer, e muito menos de “feminismo”, e sim de obedecer ou desobedecer o Deus Criador dos céus e da terra; senão vejamos:
 

No princípio Deus criou o homem e já, então, lhe atribuia a responsabilidade de trabalhar no cuidado da sua criação: “ E tomou o SENHOR Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.” (Gn 2:15), e tudo sob sua única e exclusiva orientação: “ E ordenou o SENHOR Deus ao homem , dizendo: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gn 2:16,17).
 

Desde o marco inicial da nossa história, o que Deus nos pede é obediência, mediante a fé, em sua santa palavra, como verdade absoluta. Como Adão poderia saber que, realmente, morreria, senão pela fé?: “ Certamente morrerás.” Ele foi o primeiro homem criado e sendo assim, a sua única referência era a própria palavra que ouvira de Deus, e ao consentir com a transgressão da sua mulher, veio a experimentar a morte, que é o salário do pecado. Repare que Adão não foi enganado, e sim, voluntariamente, usando do livre arbítrio de escolha, deu ouvidos a voz da mulher, comendo também do fruto que o Senhor lhe ordenara que não comesse: “ E deu também a seu marido, e ele comeu com ela.” (Gn 3:6). Talvez ele tenha pensado que Deus não era fiel naquilo que lhe tinha ordenado, pois a sua mulher comera do fruto e ainda estava “viva”; ou talvez a “morte”, como conseqüência da desobediência não fosse, assim, tão ruim, não é mesmo?: “ Então, foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.” ( Gn 3:7).
 

Ás vezes me pergunto: E se Adão não tivesse comido do fruto proibido, independentemente, de sua mulher, teria o pecado entrado na raça humana? Acredito que não, pois a sua fidelidade à Deus, à sua santa palavra, bem como o seu testemunho pessoal e exercendo com autoridade a responsabilidade de liderar a família, santificaria a sua mulher trazendo-a de volta a sua verdadeira posição, que lhe foi atribuída por Deus, que é de sujeição: “ Porque o marido descrente é santificado pela mulher, e a mulher descrente é santificada pelo marido. Doutra sorte, os vossos filhos seriam imundos, mas, agora, são santos.” ( 1Cor 7:14). E não seria por isso que no novo concerto, o Senhor manda que as santas mulheres, nas igrejas, se sujeitem aos seus maridos, e como Sara a Abraão, lhes chamem de senhor: “ Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.” (Ef 5:22,23).
 

Reparem também, amados irmãos, que a ordem de não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal, foi dada por Deus diretamente ao homem, e não a mulher: “ Mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” ( Gn 2:17). Relato bíblico que nos deixa claro que a obrigação de orientar e ensinar a mulher nos caminhos do Senhor é responsabilidade do homem, não o contrário, e quando isto não acontece no lar e nem na igreja é, com certeza, incorrer na mesma transgressão do Éden: “ A mulher aprenda em silêncio, com toda sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, na caridade e na santificação.” (1Tm 2:11 a 15).
 

Será que Deus ( que não muda), permite que, hoje, mulheres assumam posição de liderança nas igrejas? Ou será que pastores, que afirmam que receberam uma “nova unção”, tem mais autoridade, que a própria autoridade das Escrituras Sagradas e podem, agora, “consagrar” mulheres para o ministério pastoral? O que temos observado nestes últimos dias, nada mais é , que o cumprimento da palavra também revelada, de que viria o tempo em que a sã doutrina não seria sofrida (2Tm 4:3,4), e que antes da volta do Senhor, para buscar o seu povo, viria a APOSTASIA: “ Ninguém de maneira alguma, vos engane, porque não será assim, sem que antes venha a apostasia...”(2Ts2:3a). Apostasia que, literalmente, significa “desvio”, “afastamento” e “abandono”, ou seja, nestes últimos dias, um grande número de pessoas, nas igrejas, tem se apartado, da verdade bíblica, e ainda assim, acreditam, que é possível servir a Deus, desobedecendo a sua palavra.
 

E, infelizmente, muitas mulheres, até bem intencionadas, estão, literalmente, caminhando para morte, por darem ouvidos a espíritos enganadores (1Tm4:1),e acreditando que Deus ( que deixa claro na sua palavra que não permite que a mulher exerça autoridade) está se agradando desta prática apóstata, que tem desviado multidões da perfeita vontade de Deus para o seu povo, que é a obediência incondicional a sua santa palavra, pois já nos ensina um outro conhecido versículo bíblico: “ Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar.” (1Sm 15:22). Mas parece, que o total desprezo, pela palavra revelada, tem cada dia que passa , se multiplicado como “células” entre aqueles que se dizem chamar de cristãos, ou melhor, que só querem se chamar por este nome, mas comer do seu próprio pão, ou seja, colocam o seu conceito de certo ou errado acima da revelação Bíblica : “ E sete mulheres, naquele dia, lançarão mão de um homem, dizendo: Nós comeremos do nosso pão e nos vestiremos de nossas vestes; tão-somente queremos que sejamos chamadas pelo teu nome, tira o nosso opróbrio.” (Is 4:1). E não será este o dia que se referiu o profeta? Confira:
 

Quando os discípulos perguntaram ao Senhor Jesus: Que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? Ele lhes respondeu: “ Acautelai-vos, que ninguém vos engane.” (Mt 24:4). Nos advertindo assim, que o engano religioso seria volumoso na terra antes da sua vinda. Para não ser enganado, cada crente, deve crescer em fé e amor para com Cristo e ter a palavra de Deus, dada pelo Espírito Santo, como autoridade máxima em sua vida, conhecendo-a bem, em sua totalidade: “ Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (2Tm 4:3,4).
 

O homem e a mulher são igualmente amados e preciosos à vista de Deus: “Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.” (Gl 3:27,28). Porém, foi ao homem que Deus entregou a responsabilidade de direção da família e da igreja: “ O varão, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher a glória do varão. Porque o varão não provém da mulher, mas a mulher do varão. Porque também o varão não foi criado por causa da mulher, mas a mulher, por causa do varão.” (1Cor 11: 7 a 9). O ensino de Paulo (o apóstolo) quanto a mulher não ensinar nas igrejas, vem dos princípios estabelecidos pelo Criador para o homem e a mulher, quando da sua criação original e dos efeitos da entrada do pecado na raça humana: “ E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.” (1Tm 2:14).E portanto, não é uma questão de “machismo” (como afirmam muitas “pastoras”), e sim de obediência ou desobediência à palavra revelada do Senhor nosso Deus.
 

Deus criou primeiro o homem, e assim revelou o seu propósito do homem orientar e liderar a mulher e a família. A mulher foi formada depois (de uma costela de Adão) para ser companheira e adjutora dele, no cumprimento do plano de Deus para o casal: “ E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.” (Gn 2:18). Portanto não aceitar este plano em nossas vidas: A mulher achar que agora pode assumir o lugar do homem na família e na igreja, e o homem consentir com a mulher ( até mesmo consagrando-a como “pastora”), é , LITERALMENTE, mais uma vez ser enganado pela serpente: “ Mas temo que, assim coma a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos e se apartem da simplicidade que há em Cristo. Porque , se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebeste, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis.” (2Cor 11:3,4).
 

E, hoje, infelizmente, principalmente os da “nova unção” gedoziana (igrejas em células) estão se deixando enganar, mas ainda é hora, e agora é, de voltarmos, arrependidos, a simplicidade que há em Cristo , pois já nos ensina as Escrituras Sagradas que a vontade de Deus é que todos se salvem e venham conhecer a verdade: “ Que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade.” (1Tm 2:4)
 

Obedecer de coração a palavra de Deus é melhor do que qualquer forma exterior de adoração, serviço a Deus, ou abnegação pessoal. O Pecado de Saul (1Sm 15:22) foi seguir o seu próprio conceito de certo ou errado, colocando-o acima da revelação Bíblica e este , também, tem sido, o pecado de muitos nestes dias. Cristãos professos insistem em desprezar a palavra de Deus (versículos que tratam da posição da mulher na igreja), pensando que Ele não é fiel naquilo que já determinou, e à semelhança de Uzá, também caminham para a morte, apesar de bem intencionados: “ Então, a ira do SENHOR, se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu ali por esta imprudência; e morreu ali junto à arca de Deus.” (2Sm 6:7)
 

Uzá é um exemplo do perigo inerente de alguém ter zelo por Deus, mas desobedecendo a sua santa palavra. Uzá morreu porque ele não era levita e, portanto, não tinha a permissão de Deus para levar a arca ( mesmo que tenha tido do rei Davi e do sumo sacerdote), pois o que Deus nos pede é obediência a sua palavra, e não sacrifícios: “ E, quando o tabernáculo partir, os levitas o desarmarão; e, quando o tabernáculo assentar no arraial, os levitas o armarão; e o estranho que se chegar morrerá.” (Nm 1:51). Portanto se a amada irmã, foi consagrada “pastora” (mesmo com o consentimento do seu marido ou pastor), gostaria de mais uma vez, em nome do Senhor Jesus Cristo, exortá-la: Deus não permite esta prática na sua Igreja (1Tm 2: 11 a 15), e o que é ainda pior: É indecente que mulheres falem (com autoridade de ensino, é claro, pois todos podemos cantar, testemunhar, profetizar e etc): “ As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar, mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é indecente que as mulheres falem na igreja.”(1Cor 14:34,35). Agora, se a amada irmã cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que estas palavras são mandamentos do Senhor: “ Se alguém cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. Mas, se alguém ignora isso, que ignore.” (1Cor 37,38). E ignorar a palavra de Deus é ignorar o próprio Deus, não é mesmo?
 

Ainda sobre a morte de Uzá: Deus o feriu, porque Davi e o sumo sacerdote não tinham determinado que somente os levitas transportassem e cuidassem da arca, segundo o seu mandamento (Nm 1:47 a 52). Deus ordenara, que ninguém deveria, sequer, tocar na arca, símbolo da sua presença e majestade. A ação de Uzá resultou da sua imprudência diante dos mandamentos de Deus, ou da sua falta de temor ao Senhor e a sua morte, mesmo tendo tido o consentimento do Rei de Israel e do sumo sacerdote, nos deixa claro que a salvação é individual, ou seja, todos prestaremos contas de nós mesmos ao Deus Todo-Poderoso. Uzá (ele não era levita), ao segurar a arca, quando esta ameaçava cair do carro de boi, demonstrou certo zelo pelo Reino de Deus, mas a palavra de Deus é clara: “ Ninguém pode levar a arca do SENHOR, senão os levitas; porque o SENHOR os elegeu, para levarem a arca do Senhor e para o servirem eternamente.” (1Cr 15:2). Mas Deus não se agrada de boa intenção, minha amada irmã, Ele se agrada sim, que se lhe obedeça a palavra (1Sm 15:22). E, ainda, hoje, no novo concerto, ele continua a nos falar: “ Não permito, porém, que a mulher ensine...” (1Tm 2:12a).
 

O que também, me chama atenção neste relato bíblico, é que os homens que estavam à frente do povo de Deus ( Davi e o sumo sacerdote), e portanto deveriam orientá-lo no serviço do Senhor, se omitiram, ou melhor, consentiram que Uzá, mesmo sem a permissão de Deus, transportasse a arca, contribuindo para sua morte (2Sm 6:7). E, hoje, quantas mulheres, estão caminhando para a morte, porque os seus pastores, não lhes anunciam todo o conselho de Deus?: “ Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus.” (At 20:27).
 

Mulheres estão sendo consagradas “pastoras”, num total desprezo a sua palavra revelada e ainda insistem em afirmar, que a multiplicação de “igrejas células” é sinal evidente que Deus tem se agradado desta desobediência generalizada, ou melhor “gedosianizada”, onde a palavra de Deus tem sido como coisa estranha, que nos faz lembrar o “avivamento” do povo de Deus no passado: “ Porquanto Efraim multiplicou os altares para pecar; teve altares para pecar. Escrevi para eles as grandezas da minha lei; mas isso é para eles como coisa estranha.” ( Os 8:11,12). E o que é pior: Ensinam que a multiplicação do número de membros e, consequentemente, o crescimento também do número de novos templos que são abertos é prova evidente que Deus tem se agradado deles, e usam o conselho de Gamaliel para se justificarem. Ora, não é sábio afirmar, que todo movimento, aparentemente, cristão é de Deus somente porque não para de crescer, pois se assim for, teremos que acreditar que as Testemunhas de Jeová, Espíritas, Mormons, ou mesmo todas as outras grandes religiões no mundo são também de Deus, não é mesmo?: Também se multiplicam como “células”.
 

Repare que a mulher ficar calada na igreja, porque não lhe é permitido falar é devido a sua posição de sujeição, estabelecida pelo Criador, quando da sua criação, e não da vontade do homem, que nos fica claro quando nos diz:: “Como também ordena a lei”. Repare também que Nadabe e Abiú (sacerdotes), morreram perante o Senhor, porque trouxeram fogo estranho perante a sua face, o que não lhes ordenara: “ Então, saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR.” (Lv 10:2). E o que é que o Senhor tem nos ordenado, amados irmãos?: “ Não permito que a mulher ensine.” É Deus quem não permite, e quem é o homem que ousará desafiar o Senhor levando fogo estranho para o altar, que o Senhor não nos tem ordenado, impondo, precipitadamente, as mãos, sobre mulheres?: “ E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e puseram incenso sobre ele, e trouxeram fogo estranho perante a face do SENHOR, o que lhes não ordenara.” (Lv10:1).
 

E quem tem ouvidos, ouça: A consagração de mulheres para o ministério pastoral é , literalmente, trazer fogo estranho para o altar, e a mulher achar, que agora ela pode assumir posição de liderança no lar e na igreja, pois tem o consentimento de muitos pastores, é mais uma vez ser enganada pela serpente. Basta um exame superficial das Escrituras Sagradas para compreendermos isto: Quando Eva foi enganada pela serpente, ela acreditou que poderia ser como Deus, e hoje, muitas estão também enganadas, acreditando que podem ser como o homem, mas não podem, pois a posição da mulher, no lar e na igreja do Senhor Jesus é de sujeição, posição esta que foi estabelecida pelo próprio Deus, e nunca, no exercício de autoridade sobre o marido (no lar) e sobre o homem ( na igreja), e não aceitar este fato é , com certeza, se rebelar contra a perfeita vontade do Senhor Jesus para a sua igreja: “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido.” (Ef 5:22 a24). Observamos assim que a sujeição da mulher ao marido é vista pela Senhor, como a ele mesmo, o que fica claro quando nos diz: “Como ao Senhor.”
 

Nenhum comentário: