Seguidores

12 de nov de 2008

Esse "evangelho" que tudo pode...

Esse "evangelho" que tudo pode...


O jornal O dia publicou que a nova Rainha da Bateria da Escola de Samba Unidos do Viradouro, Juliane Almeida, 24 anos, é evangélica. Juliane é desde 2005 uma das morenas do grupo É o Tchan, já venceu 28 concursos de beleza e foi dançarina do ‘Domingão do Faustão’. Segundo a reportagem, mesmo sendo evangélica, a moça já colocou silicone nos seios e posou nua. No carnaval de 2009, Juliane vai representar ‘Dendê, meu dengo, óleo de cheiro’. Ela vem simples, Gabriela, e quero que pegue bastante sol para representar a morenice retratada por Jorge Amado”, adianta o carnavalesco da agremiação niteroense. A musa conta que não irá desfilar com os seios de fora. “Isso está fora de cogitação”. O namorado pode ficar descansado, pois ela virá com flor no cabelo, minissaia e uma tela de cristais Swarovski sobre os seios à frente da bateria, que vai representar o afoxé Filhos de Gandhi.

Quando li a noticia acima confesso que fiquei profundamente preocupado com os rumos desta geração. Sou obrigado a confessar que tenho andado assustado com o incentivo à promiscuidade e sensualidade em nosso país. Compartilho também a minha aflição com o nível de devocionalidade e compromisso cristão de nossos jovens. Infelizmente, essa geração em nome de uma pseudoliberdade vem ao longo dos anos procurando compor no mesmo projeto de vida, Deus e "mundanismo". E para piorar, em nome de uma espiritualidade barata, a graça de Deus tem sido relativizada em detrimento de uma vida promiscua e irresponsável.

Por favor, repare comigo, você já percebeu de que tudo aquilo que acontece nas nossas comunidades tem sido transformado em gospel? Música gospel, teatro gospel, show gospel, dança gospel, além de tantas outras coisas mais?

Do jeito que a coisa anda daqui a pouco ouviremos o seguinte “testemunho”:
“Acordei esta manhã e fiz minha oração gospel, liguei o som e botei um CD gospel enquanto colocava minha vestimenta gospel. Ao sair de casa parei na banca de jornal onde comprei uma revista de games gospel e outra de fofocas gospel, as quais fui lendo enquanto viajava de ônibus até o centro da cidade, onde teria uma "parada" gospel com uns amigos skatistas. Parei de ler quando reparei em uma garota gospel, muito gatinha, de piercing gospel, calça e mini-blusa gospel. Comecei ali mesmo no buzão uma paquera gospel e perguntei à gata gospel se queria ficar comigo. Ela, como "ficante" gospel topou. Convidei-a então para tomarmos um drink gospel em um barzinho gospel super badalado que conheço. Depois fomos a um cinema gospel, onde no escurinho podia então dar uns amassos gospel. Mão gospel boba pra cá, mão gospel boba pra lá, estávamos a mil. Então depois do cine resolvemos ir até um a balada gospel descarregar nossa adrenalina toda em uma danceteria gospel. Show de bola! Demais! Escureceu e não a deixei ir pra casa. A convenci que sendo eu um cara gospel, não iria só "ficar" com ela, mas que logo-logo assumiria um namoro gospel. E com base nessa promessa a convenci a esticarmos nosso programa gospel, levando-a até um motel gospel onde fizemos um amorzinho gospel. A acompanhei depois até em casa, e ela me convidou para entrar. Conheci seus pais, crentes liberais, não muito gospel, mas gente fina! Subimos até o seu quarto, pois ela queria me mostrar seu cantinho gospel. Notei nas paredes pôsteres de seus artistas gospel preferidos e ela mostrou-me sua coleção de CDS de reggae gospel, rap gospel e música eletrônica gospel. Enquanto ela foi até o banheiro, dei uma lida em seu diário gospel e vi que ela registrava todas as suas aventuras gospel com os carinhas gospel que conhecia. Fiquei imaginando que o meu nome e o que eu fizesse, preencheria as próximas páginas daquele caderno gospel.”

Pois é, nossos jovens precisam URGENTEMENTE abrir os olhos. Isto porque, da mesma forma que não dá para misturar óleo e água no mesmo recipiente, não nos é possível, fazer parte de geração abstêmia de Deus e da geração dos comprometidos com o Senhor. Ou somos de Deus, e vivemos uma vida santa e separada por ele, ou não somos dele. Vale a pena dizer que na perspectiva do reino não existe possibilidade do meio termo.

De que geração você faz parte? Da geração descompromissada com Deus, que efusivamente canta as canções gospel em nossos templos, saindo a posteriore para as boates e motéis da vida? Ou de uma geração comprometida com a verdade que ama a Deus acima de todas as coisas? Da geração gospel que não tem limites, que tudo faz, onde tudo é lícito e tudo pode, ou da Santa Geração que entende que a santidade é o modo de Deus proteger a psique humana?
Amados, seguir a Jesus é o melhor e mais fascinante projeto de vida. Fazer parte da Santa geração é tudo de bom. Deixe pra lá os valores deste mundo e desfrute de momentos harmônicos, plenos e saudáveis na presença do Senhor.
Soli Deo Gloria!

Renato Vargens

Fonte: VINACC - Visão Nacional Para a Consciência Cristã

Nenhum comentário: