Seguidores

24 de out de 2011

Lei islâmica deve ser base do governo na "nova Líbia"

Paraíba, 24/10/2011
Lei islâmica deve ser base do governo na "nova Líbia"

Quatro dias depois da captura e execução de Muammar Gaddafi, o Conselho Nacional de Transição realizou a crimônia de ‘libertação’ oficial da Líbia.

Comentário do autor do blog: Ou seja sai um homem ditador Muamar Kadafi, entra um governo ditador-religioso. Trocou seis por meia dúzia. Para os cristãos, na realidade, piorou.


Deu-se na cidade de Benghazi, onde nasceu a revolta que, tonificada pela Otan, prevaleceu sobre a ditadura de 42 anos de Gaddafi.
Em discurso, Mustafa Abdel Jalil, líder da transição, disse que a base da constituição do novo governo deve ser a sharia (lei islâmica).


Em tradução livre, sharia significa ‘caminho’ ou ‘rota para a fonte de água’. É usada como base teórica para a definição da estrutura juridica de sociedades islâmicas.
Regula o cotidiano público e privado das pessoas –política, economia, organização familiar, suxualidade etc. "Qualquer lei que contradiga a sharia islâmica é nula e vazia, legalmente falando", disse Mustafa Jail, o mandachuva da transição líbia.

Quando levado ao pé da letra, o código de leis do islamismo pode produzir punições que chocam o mundo ocidental. A sharia prevê, por exemplo, que mulheres condenadas por adultério devem ser enterradas até o pescoço e apedrejadas até a morte.


Resta agora saber até que ponto os futuros legisladores da “nova” Líbia incorporar os preceitos da sharia na Constituição do país.



Fonte: Uol

Divulgação: www.jorgenilson.com

Nenhum comentário: